quinta-feira, 28 de abril de 2011

Jipe presidencial atolado na lama | DNOTICIAS.PT


Jipe presidencial atolado na lama | DNOTICIAS.PT
Depois de ter atolado a Madeira em dívidas o homem mergulha na lama...

Quer ser ouvido pelo FMI?

Jardim quer ser auscultado pelo FMI com que fim? Quererá AJJ lá apresentar as dívidas que ele criou nos últimos 10 anos? Acha ele que isso seria um salvo conduto para alguma coisa? Acha ele que ir lá apresentar uma gigantesca dívida de 6200 Milhões de Euros é um bom argumento para a Madeira?
A mim o que me parece é que o homem que tanto pediu a vinda do FMI está a remar para terra, quer arranjar mais um argumento para deitar as culpas das medidas de austeridade sobre outros.
Já agora diga aos Madeirenses o que queria dizer ao FMI! Somos todo ouvidos.

segunda-feira, 25 de abril de 2011

terça-feira, 12 de abril de 2011

O HOMEM DO FMI


Qual embaixador do sistema financeiro, o homem ia vociferando contra o Governo de Lisboa e pedindo que o FMI entrasse em Portugal.

Era a favor da entrada do FMI, mas era contra as medidas de austeridade. Insanável contradição. Era contra que se avançasse com medidas de austeridade em Lisboa, mas aqui na Madeira era o primeiro a impô-las aos outros. Era contra as medidas de austeridade decididas em Lisboa, mas queria que fossem aplicadas nos Açores. Foi assim durante os últimos 2 meses. Este discurso e esta prática do Presidente do Governo da Madeira tem uma realidade escondida. A Madeira tem um orçamento superior ao dos Açores, mas também, fruto da irresponsabilidade eleiçoeira, tem uma dívida superior à dos Açores, que não nos permite qualquer folga para enfrentar a crise, cuja responsabilidade é sua. Daí o discurso ziguezagueante, contraditório e cambalhoteiro.

Lá dizia ele que o FMI não se preocupava só com o saneamento das contas públicas mas tinha medidas para a economia. Uma mentira pegada. O FMI vem para impor uma agenda financeira que irá empurrar-nos para as dificuldades e para a recessão. Cortes na massa salarial dos funcionários públicos e nos direitos sociais, baixa da procura interna, deixa o caminho aberto para uma recessão e para a diminuição do poder de compra.

A Madeira está de facto na bancarrota. Basta ver os relatórios do Tribunal de Contas, os compromissos assumidos e não pagos, a dívida directa e indirecta, para ficarmos com a percepção que há uma ruptura de tesouraria nas contas do Governo PSD da Madeira.

A estratégia de Jardim é clara para todos. Aquele que tendo responsabilidades de governação na Madeira e que hoje não tem um tostão para pagar os desvarios dos últimos anos, vê no FMI a sua salvação, ou seja, com a entrada do FMI, as medidas serão impostas e a culpa não é dele. A estratégia de sempre. Irá culpar os outros pelas suas más decisões políticas, fugindo assim às suas responsabilidades.

O homem do FMI vê na vinda desta instituição a sua salvação política, o argumento que lhe falta, porque não irá pagar os custos políticos do desvario financeiro em que colocou a Madeira, mesmo que para isso todos nós tenhamos que pagar uma factura bem alta pela sua irresponsabilidade política. in Diário de Notícias 11/04/2011

quinta-feira, 7 de abril de 2011

O SENHOR FMI

Jardim também quer ter acesso aos milhões da ajuda externa | DNOTICIAS.PT

Jardim durante meses queria o FMI em Portugal. Leia este artigo do DN e irá saber as razões da voracidade com que desejou o FMI por cá.
Jardim já pode aplicar as medidas de austeridade e mandar as responsabilidades para outros....

SONDAGEM ABRIL 2011