Mensagens

A mostrar mensagens de Maio, 2010

VITAL MOREIRA APOIA ALEGRE

In http://causa-nossa.blogspot.com/ A POLÍTICA NÃO SE COMPADECE COM ESTADOS DE ALMA Reiterando o que disse há tempos, num artigo no Público, penso que o PS está "condenado" a apoiar a candidatura de Manuel Alegre, apesar das fortes razões de queixa e das muitas divergências que tem em relação a ele.Eis as razões para esse inevitável apoio, mesmo reticente. Primeiro, não podendo o PS deixar de "ter" um candidato presidencial e tendo Alegre tomado a dianteira desta vez, agora seria o PS a causar a divisão do partido se apresentasse outro. Segundo, na verdade não se vislumbra no PS nenhum outro candidato disponível capaz de ser melhor alternativa a Alegre. Terceiro, sendo praticamente certa a reeleição de Cavaco Silva, por mais apoios que Alegre possa congregar, este será o candidato que melhor defende o PS desse insucesso eleitoral, justamente por não ser seu candidato a 100%, até por ser "compartilhado" com o BE. Dito por quem é, isto pode parecer cinismo, m…

SONDAGEM DA MARKTEST

Imagem
Marktest, 18-20 Maio, N=804, Tel.
Intenções de voto após redistribuição de indecisos:
PSD: 43,9%
PS: 27,6%
BE: 7,7%
CDS-PP: 7,5%
CDU: 7,1% Desde 1991 que o PSD não conseguia um resultado que permitisse estar tão perto da maioria absoluta. PS tem o pior resultado desde que Sócrates é líder. "Maioria absoluta". As duas palavras que o PSD não pronuncia, nas urnas, desde 6 de Outubro de 1991 estão ao alcance de Pedro Passos Coelho.O barómetro de Maio da Marktest, para o Diário Económico e TSF, retrata a perda de intenções de voto à esquerda e uma subida substancial à direita, com destaque para o PSD que ganhou no último mês quatro pontos percentuais e alcança agora os 44%, o PS que cai seis pontos para os 28% - o valor mais baixo desde que José Sócrates é líder - e o CDS que resiste à subida dos social-democratas e passa de cinco pontos em Abril, para os 8% em Maio. "Havia uma dúvida: o pacto de austeridade assinado entre Pedro Passos Coelho e José Sócrates penaliza PS e PSD da mes…

JSD NO RECRUTAMENTO....

Imagem
Passei junto à escola dos Barreiros ainda à pouco e lá estava a JSD com um quiosque atrelado a um carro quase dentro dos portões da escola.... se fossem outros eram logo rebocados por infringirem o código de estrada. Os laranjinhas continuam em acções de recrutamento para novas adesões.... os rapazes não brincam....

DIA DA CIDADE DO FUNCHAL - PEDRO PASSOS COELHO SEMPRE VEM?

A instrumentalização do dia da cidade do Funchal é de facto uma vergonha. A alegada presença de Pedro Passos Coelho nesta efeméridecomemorativa é um escândalo. Não consta que Albuquerque tenha, no passado, convidado qualquer líder da oposição, seja ele Ferro Rodrigues ou Durão Barroso, só para citar alguns exemplos. Este convite nasce com que fim? Por razões internas e externas - mas tem um fim último a auto promoção de Miguel Albuquerque. O PSD-M afirmou que não convidaria Pedro Passos Coelho para a Festa do PSD a resposta veio de Albuquerque com o convite para a sessão solene do dia da Cidade. Há aqui uma clara instrumentalização da CMF para dirimir questões internas, não na Câmara, mas dentro do PSD.

RTP-M QUE CRITÉRIOS??

Imagem
A RTP-M transmitiu em directo da Assembleia da República a Moção de Censura ao Governo do PS e muito bem.
O que não se entende é que da últimas vez que existiu uma Moção de Censura ao Governo Regional do PSD-M a RTP-M nada transmitiu.
Uma Televisão pública com caracteristicas regionais Censura as Moções de Censura que os partidos da oposição apresentam na Assembleia Regional, censurando assim as oposições.
Esta RTP-M Censura as Censuras na Madeira mas já não Censura as Censuras ao nível do país. Critérios...Critérios...Critérios...Critérios...Critérios...Critérios...Critérios...Critérios...Critérios...

AS CINZAS ANTI-DEMOCRÁTICAS, QUE PAIRAM SOBRE A MADEIRA, SUFOCAM A LIBERDADE DE IMPRENSA

Imagem
Editorial
Razões de uma demissão



Levo hoje ao conhecimento dos leitores a minha demissão do cargo de Director do Diário de Notícias.

Uma decisão pessoal emergente do regime de excepção criado à Comunicação Social madeirense.

Como é do domínio público, a imprensa é um dos ramos de actividade que mais têm sentido a recessão económico-financeira mundial. No caso, acresce o sufoco e o cerco ao nosso jornal congeminado e perpetrado pelo presidente do governo da Madeira, dr. Alberto João Jardim, que está a aproveitar as dificuldades deste período negro, com reflexos fatais no mercado insular, para concretizar o seu antigo projecto de fechar o DIÁRIO. Depois de muitos anos a atribuir ao DN ofensas e ataques pretensamente gerados contra si, o dr. Jardim passou à estratégia de desvirtuar o mercado regional dos media, passando expressamente a beneficiar em 1992 um jornal concorrente - o Jornal da Madeira - com uma verba anual astronómica. Em 2009, o total dos apoios recebidos por aquele órgão ascen…