quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Líder nacional do BE apoia coligação para ganhar Câmara do Funchal

O coordenador nacional do Bloco de Esquerda, João Semedo, incentivou esta tarde, num debate no Funchal, a oposição regional a criar uma coligação para conquistar a Câmara Municipal da capital madeirense. "O Bloco de Esquerda subscreveu o Pacto para a Democracia. É um pacto em que o Bloco de Esquerda está com muitos outros partidos. Não estamos arrependidos e esperamos que dessa convergência possa resultar uma candidatura que tenha possibilidades de disputar a Câmara Municipal do Funchal. Isso seria muito importante num período em que é evidente que o jardinismo está no seu estertor, está nos seus últimos dias", frisou o dirigente bloquista, que censurou a falta de coerência do CDS, que "por oportunismo entrou no Pacto [para a Democracia] e também por oportunismo acabou por sair do Pacto".
A outro nível, João Semedo criticou duramente a proposta de revisão da Lei de Finanças Regionais apresentada pelo Governo da República PSD/CDS, considerando que "é mais um instrumento de que o governo de Pedro Passos Coelho e Paulo Portas recorre para, em nome da redução da despesa pública, continuar uma obra de destruição do poder local democrático e das autonomias regionais". "Nós somos uma voz coerente, combativa e determinada na denúncia do jardinismo e do despesismo que caracterizou a governação de Alberto João Jardim, mas nós não confundimos o combate ao despesismo inútil com a tentativa que está em curso de retirar meios financeiros e transferir menos fundos e comprometer a Autonomia Regional", realçou o coordenador nacional, que deu a entender que o BE vai votar contra a proposta do Governo na hora da votação na Assembleia da República.

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Causa cessant, cessato efectus (Latim)

Os Madeirenses confiaram em si, os Madeirenses nunca o traíram, senhor Presidente, mas Vossa Excelência traiu os Madeirenses.
Este povo deu-lhe a si tudo, maiorias absolutas, esteve ao seu lado em g...uerras justas pelos direitos do nosso povo, foi complacente nos seus erros políticos, foi tolerante na sua má educação, foi compreensivo quando desastres se abateram sobre os Madeirenses, mesmo quando esses desastres foram em parte devido a erros do Governo. Este povo deu-lhe tudo e tudo Vossa Excelência desprezou.
Fez dívidas em nosso nome, mas nas nossas costas e sem o nosso consentimento.
Abusou da confiança, ocultando a verdade da sua Governação a quem em si confiou.
Fique sabendo que os Madeirenses já não confiam em si, e sabem que V. Excelência faz parte do problema, mas não faz parte da solução.
Mas não é só sociedade Madeirense que perdeu a confiança em si, V. Excelência também não tem a confiança do seu partido.
É esta falta de confiança entre os Madeirenses e o PSD que fará com que este Governo não leve o seu mandato até ao fim.
No próximo ano teremos eleições autárquicas, eu não tenho dúvida que o PSD e o seu presidente vão perder as eleições.
Depois das próximas eleições Autárquicas vamos ter Regionais porque o próprio PSD também já percebeu que V. Excelência é um problema para a Madeira, mas também para o próprio PSD.
Quem irá afasta-lo do Governo será o seu próprio partido. Primeiro irão afasta-lo da liderança do PSD e depois da Presidência do Governo, ai teremos eleições regionais antecipadas.
Espero que a história o julgue por tudo o que fez de bem e ignore o mal que vez à Madeira e ao nosso povo.
A Madeira ficará liberta para a Mudança, abrir-se-ão novos caminhos de negociação com Lisboa e a Madeira vai recuperar a Autonomia que perdermos.
Causa cessant, cessato efectus (Cessada a causa, cessam-se os efeitos) assim seja!
Ver mais

MUDANÇA


OS MENINOS DO CARRO PRETO

Acostumados ao biberão da abundância na casa do papá nunca lhes faltou nada à mesa, nem as calças e sapatilhas da moda, nem as férias chiques. Estes meninos chegaram ao Governo Regional da nossa terra e também às Câmaras Municipais já de fato armani vestido e, no carro preto, que de tenra idade habituados estavam, recebendo o poder por herança e trazendo, na bagagem, o novo léxico das chamadas engenharias financeiras. Secretários e Diretores Regionais, Presidentes de Câmara, Conselheiros Técnicos, Assessores, já vieram encartados nas lógicas das marinas, das piscinas, das parcerias público-privadas, e tudo o mais... Para esta gente, o dinheiro nunca foi um problema. Em casa, o papá pagava as contas, no Governo Regional/Câmaras Municipais, paga o povo. E foi assim e é assim que vivem. Nunca tiveram que gerir um magro ordenado, nunca tiraram o curso de gestão financeira doméstica, porque tudo sempre foi fácil, sempre tudo tiveram dado e arregaçado. Estes rapazes (e raparigas) do biberão estavam em todo o lado, no público e no privado, trabalhavam de manhã para o governo e, de tarde, trabalhavam para as empresas. De manhã, funcionários públicos; de tarde, parceiros da banca. Não faltaram estudos de viabilidade económica e financeira para as Sociedades de Desenvolvimento que, juravam, não iria custar um tostão ao bolso do contribuinte. Esses mesmos estudos diziam que as Parcerias Público-Privadas (Vialitoral, Viaexpresso, Viamadeira e todas as outras) eram excelentes negócios para a Madeira.
Mas o que é realmente deveras engraçado, é que, hoje, os rapazes e raparigas do biberão já não assumem a paternidade de nada disto. Afinal, somente recebiam ordens, não eram eles que propunham. Na verdade, as ideias provinham de outro rapaz do biberão, que não eles. E assim vão enxotando as culpas. Só quem não se livra da irresponsabilidade da divida é quem a paga – os filhos do povo.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

COLIGAÇÃO DA MUDANÇA

Neste momento sabe-se quem é o candidato do PSD, Bruno Pereira, e o Candidato do CDS-PP ,José Manuel Rodrigues. A Sondagem do Diário de Noticias da Madeira dá vitoria a uma coligação mesmo sem o CDS-PP. As águas estão a separar-se. De um lado os que querem a Mudança do outro os que querem que tudo fique na mesma, ou seja, o PSD no poder.

PSD/CDS-PP cortam 25% das transferências do Estado às Câmaras municipais da Madeira e Porto Santo.

LEI DE FINANÇAS REGIONAIS