sexta-feira, 29 de julho de 2011

Uma primeira análise à sondagem

O PSD mantém a maioria absoluta, perde 7,64% dos votos face às eleições de 2007.

O PS-M sobe 0,5% dos votos face aos resultados de 2007%.

O CDS de 5,34 que obteve em 2007 passa para 10,2%.

PCP que obteve 5,44% dos votos em 2007 desce para 3.9, perdendo 1,55% do seu eleitorado.

O BE que obteve 2,98% em 2007 dos votos, nesta sondagem perde 0,1% dos votos.

Os restantes partidos que tiveram 4,34% dos votos(MPT + PND) em 2007, passaria agora para 8,8% dos votos incluindo os novos partidos concorrentes(PAN+PTP+PND+MPT).

Votos perdidos pelo PSD-M

Se partirmos do pressuposto que os votos perdidos pelo PSD são reais e ignorarmos os votos perdidos pelo PCP e BE, porque normalmente têm mais votos reais que nas sondagens, chegamos à seguinte conclusão:

Por cada 100 votos perdidos pelo PSD o CDS vai buscar 63,5 votos, PS vai buscar 7,5 votos ao PSD, os pequenos partidos (PAN+PTP+PND+MPT) vão captar 29 votos perdido pelo PSD. A fuga de votos do PSD beneficia o CDS em 1º lugar, O PS e depois os pequenos partidos.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Adesão de Carlos Pereira ao PS é mais-valia, Considera Victor Freitas


O ex-candidato a líder do PS-Madeira, Victor Freitas considera que a adesão de Carlos Pereira à militância do PS constitui uma mais-valia para o partido. Até porque, disse, já era mais militante do que certos militantes antes de o ser.

Questinado sobre o 'timing' escolhido por Carlos Pereira, Victor Freitas admitiu que não se trata de oportunismo face às eleições regionais de Outubro mas de um percurso normal de adesão ao projecto socialista. A propósito, disse que foi esse o caminho (de independentes a militantes) escolhido por outros quadros do PS como Bernardo Martins, Isabel Sena Lino, José António Cardoso, Emanuel Câmara ou o próprio Maximiano Martins.

Victor Freitas admite que Carlos Pereira foi movido pelo projecto de candidatura de Maximiano Martins à presidência do Governo Regional. "É um projecto em que ele acredita. É essa a leitura que faço", disse.

Sobre a possibilidade de Carlos Pereira vir a assumir, futuramente, um alto cargo dirigente no PS-Madeira, inclusive presidente do PS-Madeira, Victor Freitas disse que tal cenário não pode ser posto de lado. "Espero que ele tenha essa ambição porque é importante que os altos quadros do partido tenham essa disponibilidade", disse.

Contudo, não será no próximo congresso (aprazado para depois das Regionais de Outubro) uma vez que os estatutos do PS-Madeira obrigam a que o candidato à liderança tenha mais de 18 meses de militância, à semelhança dos candidatos a secretário-geral do partido.

Sobre o seu próprio futuro no PS-Madeira, comungando ou não de pontos de vista com o novo rumo a que o PS está a tomar, Victor Freitas disse que, para já, não se pronuncia. in www.dnoticias.pt

quinta-feira, 14 de julho de 2011

quarta-feira, 13 de julho de 2011

ANTÓNIO JOSÉ SEGURO É PREFERIDO PELO ELEITORADO DO PS


Sondagem CM: Seguro ganha a Assis no PS

Sondagem CM: Seguro ganha a Assis no PS

António José Seguro recolhe 42,3% das preferências dos eleitores do PS. Francisco Assis perde por mais a nível nacional.

António José Seguro é o grande favorito para as eleições directas de 22 e 23 de Julho no Partido Socialista, com 7,4% de vantagem sobre Francisco Assis. Segundo os números da sondagem CM/Aximage, 42,3% dos eleitores socialistas escolhem Seguro como o “melhor líder do PS” contra 34,9% que preferem Assis.

A vantagem de António José Seguro sobre Francisco Assis é ainda maior quando se faz a pergunta a nível nacional, sem ter em conta as opções partidárias de quem responde. Neste caso, Assis desce para os 30,6% e Seguro estabiliza nos 42,2% - quase 12 por cento de diferença entre os dois candidatos. Curiosamente, Seguro sobe para 50% nas preferências dos eleitores do PSD e são apenas 34,6% os sociais-democratas que iriam votar em Francisco Assis.

A sondagem exclusiva da Aximage para o Correio da Manhã responde a estas e a outras questões, com uma comparação entre os dois candidatos a líder do PS e o líder do PSD, o primeiro-ministro Passos Coelho.

A não perder, na edição de amanhã do CM.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

PS quer fazer contas às dívidas de Lisboa para a agricultura | DNOTICIAS.PT

PS quer fazer contas às dívidas de Lisboa para a agricultura | DNOTICIAS.PT

"O senhor secretário já levou esta questão a 10 Festas da Banana, 10 Festas da Cebola, 10 Feiras do Gado, onde vai levar mais uma vez no próximo fim-de-semana, meia dúzia de Festas da Cereja, cinco Festas da Cebola, à Festa da Castanha, até à Festa do Limão e se houver Festa do Brigalhó também vai levar, além de ter emitido 59 comunicados de imprensa". O levantamento das intervenções de Manuel António Correia sobre a dívida do Estado à Região, para comparticipação de programas de apoio à agricultura, foi feito por Victor Freitas, na defesa de um requerimento para criação de uma comissão de inmquérito a esta situação.

O deputado socialista estranha que a questão nunca tenha sido esclarecida no parlamento e que o Governo Regional continue a reclamar, há vários anos, 30 milhões de euros. Para isso, defende uma comissão de inquérito para resolver a questão e "pôr a agrilcutura a florir".

sexta-feira, 1 de julho de 2011

DIA DO SILÊNCIO

O dia da Região é o dia de todos nós Madeirenses, não é o dia daqueles que se acham dono da Autonomia.
Entendeu o PSD de calar as oposições no dia da Região, retirando a palavra os legítimos representantes dos Madeirenses.
O PS, juntamente com o PCP, BE, PND acordaram entre todos não comparecer a estas silenciosas festividades. em 2006.
No ano passado em 2010 o PS resolveu voltar a marcar presença no acto pouco solene do dia da Região. Eu pela minha parte entendo que nada mudou, face a 2006, que nos levasse a participar silenciosamente no dia da Região, por isso não estive presente nas cerimónias. Ninguém esperaria outra atitude da minha parte.

PS: Os vereadores da oposição no Concelho de Santa Cruz não foram convidados! Palavras para quê.....