sexta-feira, 29 de agosto de 2008

A IGNORÂNCIA ATREVIDA DE JAIME RAMOS

UM HOMEM FINO E DE BOA LINHAGEM



A LINGUAGEM FINA DO JR, CÁ DO SITIO, QUANDO BRINDOU OS AÇORES COM OS SEGUINTES DIZERES "OS AÇORES CONTINUAM SUJOS, CONTINUAM NO SÉCULO XVIII, NÃO EVOLUÍRAM. ELES AINDA LAVAM ROUPA NAQUELES ALGUIDARES NAS RIBEIRAS, NA MADEIRA JÁ TÊM MÁQUINAS DE LAVAR".


A REALIDADE DOS NÚMEROS COLOCA JAIME RAMOS COMO UM MENTIROSO DE LINGUAGEM FINA, DE ALTO TRATO NA ANÁLISE DOS NÚMEROS E ELEVAM O DITO A UM POLÍTICO DE ALTA CRAVEIRA INTELECTUAL....

DN COMPARA MADEIRA-AÇORES


AS DORES DE ALMA DO PSD-M

LFM FAZ CONJECTURAS SOBRE AS LISTAS DO PS-M À ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA. UMA COISA FICAMOS A SABER O PSD-M NÃO QUER VER O PRESIDENTE DO PS-MADEIRA NO PARLAMENTO NACIONAL.... ISTO É QUE É UMA DOR DE ALMA...

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

METE NOJO




AS INSINUAÇÕES DE ALBERTO JOÃO JARDIM CONTRA UM DEPUTADO DO PS, CARLOS PEREIRA, RETRATAM A FIGURINHA PIDESCA E DE BUFARIA CALUNIOSA DE QUE É EXEMPLO OS PEQUENOS POLÍTICOS E OS POLÍTICOS PEQUENOS.


JÁ NÃO É A PRIMEIRA INSINUAÇÃO GAROTA DE JARDIM, AGUARDE PELA RESPOSTA!

GOVERNO PS APOIA A UNIVERSIDADE DA MADEIRA




AUMENTO DE VERBAS NA ORDEM DOS 16,3%
A Universidade da Madeira vai receber, no próximo ano lectivo (2008/2009), 11,2 milhões de euros, mais 1,6 milhões que no ano anterior.


O reitor da academia madeirense, em declarações ao JORNAL da MADEIRA, diz que, feitas as contas, isso representa um aumento na ordem dos 16,3%.Para Pedro Telhado Pereira trata-se de uma questão que surge após três anos de reivindicações junto do ministério, contra os critérios que estavam a ser usados, até aqui, para o financiamento público das instituições de ensino superior, em que a Madeira e outras universidades, sobretudo do interior, também estavam a ser prejudicadas.



Pedro Telhado Pereira diz que este é um aumento que a Universidade da Madeira já devia ter recebido há três anos. De qualquer forma, o reitor da academia madeirense diz-se satisfeito com este aumento, tendo em conta que a média nacional ficou situada na ordem dos 3,6%.Aliás, segundo o reitor da Universidade da Madeira, a academia madeirense ficou em segundo lugar nos estabelecimentos que viram aumentados os fundos atribuídos pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, já que à frente da Região ficou o Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa, que registou um aumento nas verbas do Estado na ordem dos 20%, em relação ao ano lectivo de 2007/2008.



A próxima luta, segundo Pedro Telhado Pereira, será a das despesas acrescidas devido à localização, um problema que, tal como afirmou, «não se coloca apenas à Universidade da Madeira, mas a todas as universidades que não se encontram nos grandes centros. A fórmula de financiamento é cega nesse aspecto. O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior diz que não é um problema de ensino superior, é um problema de gestão de espaço nacional e, como tal, deve haver um ministério, ou um Governo Regional, alguém que esteja interessado em ajudar a universidade em ultrapassar este problema».



E isto, tal como afirmou, porque «nós vamos ser avaliados nos mesmo padrões e queremos mesmo ser avaliados nos mesmos padrões que as outras universidades. Termos custos acrescidos significa, como temos o mesmo dinheiro, é uma penalização». A questão, segundo o reitor da Universidade da Madeira, «já foi colocada ao nível do Parlamento Europeu e estou convencido de que já estão motivados para este problema das universidades das ultraperiferias», numa lógica de uma Europa comum e una. Para já, tal como afirmou, «vamos agora, junto dos vários ministérios que podem ter a ver com o desenvolvimento regional, para ver se nas verbas deles podemos ter algum apoio».Outra das lutas, conforme referiu, é a questão da Caixa Geral de Aposentações, uma matéria que, segundo Pedro Telhado Pereira, os reitores ainda não conseguiram vencer. Só para o próximo ano, conforme referiu, estima-se que o valor a pagar seja de 1,2 milhões de euros (cerca de 10% do orçamento global da UMa). IN JORNAL DA MADEIRA

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

NOVA LEGISLAÇÃO DO GOVERNO PS EM RELAÇÃO AO CRÉDITO À HABITAÇÃO




IMPORTANTE - ESTA NOVA LEGISLAÇÃO PROTEGE O CONSUMIDOR QUANDO QUER MUDAR O SEU CRÉDITO À HABITAÇÃO DE UM BANCO PARA OUTRO.

AS INSTITUIÇÕES BANCÁRIAS JÁ NÃO PODEM COBRAR QUALQUER VALOR MONETÁRIO, QUER PELA RENEGOCIAÇÃO DOS EMPRÉSTIMOS, QUER PELA TRANSFERÊNCIA DO CRÉDITO DE UMA INSTITUIÇÃO BANCÁRIA PARA OUTRA.

DE TRAIÇÃO EM TRAIÇÃO...

· Traiu os professores – prometeu um estatuto da carreira e deu-lhes outro;
· Traiu os funcionários públicos - porque congelou-lhes o tempo de serviço 2004-2008;
· Traiu os Jovens – lançando milhares no desemprego e para as terras da emigração;
· Traiu a autonomia – porque não coloca a Autonomia ao serviço dos Madeirenses;
· Traiu a democracia – criando mecanismos de controle e não permitindo que a Assembleia funcione como nas democracias;
· Traiu os seus delfins - porque afirmou que iria sair e não sai;
· TRAIÇÃO AO PARTIDO – QUER CRIAR UM NOVO PARTIDO.

ALBERTO O TRAIDOR DO PSD

OUVI FALAR EM TRAIÇÃO? HÁ UM TRAIDOR QUE VAI CRIAR UM NOVO PARTIDO - O PARTIDO SOCIAL FEDERALISTA? ELE SABE DO QUE FALA!

terça-feira, 26 de agosto de 2008

MEDEIROS GASPAR MANDA INDIRECTAS A JAIME RAMOS

O Deputado Medeiros Gaspar ataca no Diário de Notícias de hoje os "centralistas" por estes deixarem a ideia de que a Madeira Vive à Custa do Continente.
Bem vistas as coisas Medeiros Gaspar utiliza o pretexto das declarações destes "centralistas" para criticar as declarações do seu líder parlamentar Jaime Ramos que disse "QUEM TEM ILHAS TEM DE PAGÁ-LAS!" dando a ideia de que os Madeirenses vivem à custa dos contribuintes nacionais.
Boa Medeiros

MANUELA FERREIRA LEITE ... TIROU O TAPETE A JARDIM..

AS DECLARAÇÕES QUE PROFERIU NOS AÇORES A PROPÓSITO DA REVISÃO AO ESTATUTO POLÍTICO, O CARACTER CENTRALISTA DE MANUELA FERREIRA LEITE, A VISÃO QUE TEM DAS AUTONOMIAS ETC.... INVIABILIZAM A PROPOSTA DO PSD-M DE REVISÃO CONSTITUCIONAL. MANUELA É CONTRA O AUMENTO DE PODERES PARA AS AUTONOMIAS!

PROPOSTA DE REVISÃO CONSTITUCIONAL DO PSD-M

O PSD-M QUER DISCUTIR A REVISÃO CONSTITUCIONAL NAS ELEIÇÕES DE 2009 POR UMA RAZÃO MUITO SIMPLES: QUEREM ESCONDER A CANDIDATA MANUELA FERREIRA LEITE DOS MADEIRENSES.
NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES A ESCOLHA SERÁ ENTRE JOSÉ SÓCRATES E MANUELA FERREIRA LEITE. O PSD-MADEIRA QUER ESCONDER MANUELA FERREIRA LEITE DOS MADEIRENSES!"

UM AGRADECIMENTO ESPECIAL..


AO DR. ALBERTO JOÃO JARDIM PELA FORMA COMO TEM VINDO A DESCREDIBILIZAR A LIDERANÇA DA DR. MANUELA FERREIRA LEITE. O PS AGRADECE!
NOTA: VER ARTIGO DE OPINIÃO NO JORNAL DA MADEIRA ONDE ABERTO JOÃO JARDIM CONTINUA COM A SUA ESTRATÉGIA DE DESCREDIBILIZAÇÃO DE MANUELA FERREIRA LEITE.

GASÓLEO NOS AÇORES

PREÇO
1 EURO E 2 CÊNTIMOS/LITRO

PAGA MAIS CARO - AGRADEÇA AO GOVERNO DO PSD-M!


DESTRIBUIÇÃO POR ILHA


MADEIRAPÓLIO


JARDIM ALIADO DE JOSÉ SÓCRATES??

Serão estas atitudes de Alberto João Jardim uma ajuda ao PS para este ter uma nova maioria absoluta? As constantes situações em que coloca Manuela Ferreira Leite em causa não serão uma ajuda ao PS e a José Sócrates? Como pode Manuela Ferreira Leite impor-se dentro do partido quando têm o PSD-M a colocá-la em causa a todo o momento? Como pode aparecer aos olhos do país com credibilidade quando Alberto João Jardim coloca a sua liderança constantemente em causa?
Será Jardim um aliado de facto de José Sócrates?

JARDIM ALIADO DE SÓCRATES????

O processo de descredibilização de Manuela Ferreira Leite na liderança do PSD Nacional, que nos últimos tempos temos assistido, com o discurso do silêncio desta, criou os condimentos para um processo de instabilidade dentro do PSD.
Se já havia outros a dar para este peditório de descredibilização como: Angelo Correia, Pedro Passos Coelho, Santana Lopes, Luis Filipe Menezes entre outros.... agora o líder do PSD-M, Alberto João Jardim, tem nos últimos tempos colocado a liderança de Manuela Ferreira Leite em causa, quando se afirma como o único opositor a José Sócrates.
Como Alberto João Jardim conhece a acção psicológica muito bem, não acredito que assuma, assim, de forma inocente o papel de idiota util, não percebendo o que está em causa e o efeito que as suas palavras provocam na liderança nacional. As últimas declarações de Jardim levam a um processo de erosão da liderança de Manuela Ferreira Leite ... perante esta atitude será Alberto João Jardim um aliado de José Sócrates ou um idiota util???

sábado, 23 de agosto de 2008

NOTAS DE VERÃO IV

Um Presidente ausente, quer da acção Governativa, quer dos problemas dos madeirenses, em que é patente que os assuntos que interessam à população passam-lhe ao lado por desconhecimento, desinteresse e fastio.

NOTAS DE VERÃO III

Para mais, a liderança do PSD, no Governo e no Partido, desapareceu para parte incerta. Se no passado, mesmo discordando dela, poderia haver uma estratégia para a região, hoje aquilo a que se assiste é o desnorte total, bem visível na forma descoordenada como a base parlamentar do Governo constantemente foge a defendê-lo, deixando esse ónus a segundas figuras, justamente porque falta um rumo e um objectivo ao Governo. Se o tabu de Cavaco Silva ao longo de todo o ano de 1995 deu o resultado que deu, ao anunciar, a tão longo prazo, a saída do líder contribuiu para esse desnorte, para essa nau sem rumo de que a maioria dá sinais preocupantes. 2011 vem tão longe, contudo, o Presidente do Governo, na prática já deixou os assuntos da governação quotidiana da Região, que foi deixada ao deus-dará.

NOTAS DE VERÃO II

O Governo PSD não governa – passou um ano e este governo do PSD teima em não governar, barricou-se dentro da sua maioria e ignorou a Madeira, colocou-se nas trincheiras do imobilismo e da resignação.
Pediram mais tempo, os Madeirenses concederam-no. Quem votou no PSD concedeu nesse tempo um mandato para governar. Engano total! Passado mais de um ano, eis-nos aqui chegados: o Governo PSD e a sua maioria irresponsável desbaratou o crédito de tempo que o eleitorado concedeu para brincar aos congressos, aos delfins que alinham e se desalinham, ao faz que se candidata mas ninguém o puxa para Lisboa, enfim, ao regabofe e ao forrobodó. Usou e abusou da maioria concedida e do tempo ganho para nada fazer.

NOTAS DE VERÃO I

É hilariante! Os fantasmas imaginários, os inimigos externos têm servido e continuam ao serviço do discurso da maioria. Qual D. Quixote de La Mancha, este PSD arranja inimigos imaginários, porque os verdadeiros inimigos – os problemas – para esses não têm soluções. A fuga à realidade é a marca da cobardia política no seu pior. Já nem os dirigentes do PSD acreditam no seu governo – o pior Governo dos últimos 30 anos, como já dissemos. Mas não são inimigos, nem são moinhos, Senhor Presidente do Governo, são problemas bem reais e estão a moer a paciência aos madeirenses!

PSD-M COLOCA OS MADEIRENSES A PAGAREM MAIS CARO PELO COMBUSTÍVEL


PSD-M COLOCA OS MADEIRENSES A PAGAREM MAIS CARO PELOS TRANSPORTES


PSD-M PENALIZA OS MADEIRENSES COM ALTA CARGA FISCAL


PSD-M SEM POLÍTICAS SOCIAIS


PSD-M CONTRA OS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS


ESTE BLOG REGRESSOU DE FÉRIAS....

E TUDO ESTÁ NA MESMA...SEGUNDO A LEITURA QUE FOI FAZENDO DOS DIÁRIOS...

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

SUBMETAM A REFERENDO EM 2009!

REFERENDO DO PSD-MADEIRA PARA 2009

  1. O GOVERNO DO PSD-M PODE DUPLICAR AS DÍVIDAS DA REGIÃO EM 4 ANOS, PARA OS MADEIRENSES PAGAREM;
  2. O GOVERNO DO PSD-M PODE MANTER O MONOPÓLIO DO PORTO DO CANIÇAL, DOS ESTACIONAMENTOS, DA INSPECÇÃO AUTOMÓVEL, DAS LIGAÇÕES MARÍTIMAS PARA O PORTO SANTO ETC..
  3. OS MADEIRENSES NÃO PODEM TER ACESSO AO COMPLEMENTO DE PENSÃO PARA IDOSOS, AO COMPLEMENTO DE ABONO FAMILIAR DE 12 EUROS, AO SUBSÍDIO DE INSULARIDADE DE 5%, TODAS ESTAS MEDIDAS APLICAM-SE NOS AÇORES;
  4. OS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS NÃO PODEM VER A SUA CARREIRA DESCONGELADA ENTRE 2004 E 2008;
  5. OS MADEIRENSES CONTINUARÃO A PAGAR 17% A MAIS DE IRS;
  6. OS MADEIRENSES VÃO CONTINUAR A TER OS COMBUSTÍVEIS MAIS CAROS.
  7. ETC.

VOTEM NO PSD-MADEIRA E ESTÃO A VOTAR NESTAS PROPOSTAS!

SUBMETAM A REFERENDO!

VAMOS SUBMETER A REFERENDO EM 2009 ESTAS QUESTÕES À POPULAÇÃO MADEIRENSE.

PROPOSTA DO PSD-MADEIRA DE REVISÃO CONSTITUCIONAL - POR UMA DEMOCRACIA DIFERENCIADA:
1-A não obrigatoriedade da presença dos Governantes Madeirenses no Parlamento;
2-Inexistência de debates mensais com o Presidente do Governo;
3-O Governo Regional da Madeira não presta contas nem é fiscalizado pela Assembleia Legislativa Regional;
4-Os cargos de representação da Assembleia todos indicados pelo partido do Governo, ou seja pelo PSD;
5-A Mesa da Assembleia da Regional unicolor, ou seja toda do PSD-M;
6-Nas Comissões Vice-Presidentes e relatores, todos do PSD-M, ou seja do Partido maioritário;
7-O Governo não tem de ouvir os partidos da oposição nas negociações com a Europa;
8 - O Estatuto da Oposição não se aplica na Madeira.
SÃO ESTAS AS PROPOSTAS DO PSD-MADEIRA PARA A REVISÃO CONSTITUCIONAL DE 2009!

DEMOCRACIA ÀS AVESSAS, DEMOCRACIA DIFERENCIADA!

O meu comentário ao Artigo do Dr. António José Seguro, no expresso.
É de saudar que o Dr. António José Seguro tenha escolhido o tema da "Democracia" na Madeira para o seu artigo dando, assim, visibilidade ao que se passa na Madeira.
Há hoje um país dois sistemas. Há hoje uma democracia diferenciada entre o que se passa na Madeira e o que se passa no restante território Nacional. Devido ao que se passa no Parlamento da Madeira, em termos democráticos, face ao facto dos Órgão de Soberania serem cúmplices nesta matéria gostaria que a Constituição retratasse a realidade da Madeira. Como tal, na próxima revisão Constitucional, deveria ficar plasmado o seguinte:
1-A não obrigatoriedade da presença dos Governantes Madeirenses no Parlamento;
2-Inexistência de debates mensais com o Presidente do Governo;
3-O Governo Regional da Madeira não presta contas nem é fiscalizado pela Assembleia Legislativa Regional;
4-Os cargos de representação da Assembleia todos indicados pelo partido do Governo, ou seja pelo PSD;
5-A Mesa da Assembleia da Regional unicolor, ou seja toda do PSD-M;
6-Nas Comissões Vice-Presidentes e relatores, todos do PSD-M, ou seja do Partido maioritário;
7-O Governo não tem de ouvir os partidos da oposição nas negociações com a Europa;
8 - O Estatuto da Oposição não se aplica na Madeira.
Estas são algumas das propostas que permitiriam clarificar na Constituição a Democracia Diferenciada. Assim, ficaria claro para todos que as regras democráticas e de respeito pelas oposições aplicam-se somente onde o PSD é oposição – Assembleia da Republica e Parlamento Açoriano.
Os órgãos de Soberania da República se são corajosos deveriam aceder a este meu pedido na próxima revisão Constitucional.

AO CONTRÁRIO DO TÍTULO DO DN

A NOTÍCIA DE ONTEM VEM DIZER QUE NO MONOPÓLIO DOS PORTOS DA MADEIRA: FICA TUDO IGUAL, TUDO NA MESMA!
LIBERALIZAÇÃO SEM CONCORRÊNCIA AUMENTA OS CUSTOS, COMO JÁ SABÍAMOS E CONFIRMOU-SE TAMBÉM COM A LIBERALIZAÇÃO AÉREA.
GOVERNO DO PSD-M MANTEM A MESMA POLÍTICA PARA O PORTO COMERCIAL - PENALIZANDO O CUSTO DE VIDA DOS MADEIRENSES!

POLÉMICA NA PONTA DO SOL II


POLÉMICA NA PONTA DO SOL I


Um país, dois sistemas?, António José Seguro




A realização periódica de eleições competitivas e a liberdade de expressão não garantem, por si, a existência de democracia. Sem aqueles dois requisitos fundamentais não há democracia, mas esta vai mais além, designadamente através de um estruturado processo de fiscalização dos poderes executivos e de práticas políticas norteadas por valores e princípios democráticos.


Na Madeira, há eleições periódicas para os órgãos próprios da região e existe liberdade de expressão, embora a sua difusão esteja fortemente condicionada e limitada.


Desde as primeiras eleições regionais que tem existido uma maioria absoluta de um só partido e esse mesmo partido, o PSD/Madeira, governa, actualmente, as 11 autarquias da região. Uma realidade com estas características exigiria ao partido ultramaioritário um comportamento político respeitador dos direitos da oposição e uma cultura de transparência, de modo a que os poderes executivos pudessem ser controlados e fiscalizados. Infelizmente a prática é bem diversa!


O presidente do Governo regional raramente presta contas ao Parlamento; o mesmo acontece com os membros do Executivo quanto à apresentação das suas iniciativas legislativas ou a sua ida às comissões para responderem a perguntas dos deputados. Qualquer debate ou presença de um membro do Governo ou da administração regional tem que ser aprovado pela maioria do PSD/Madeira, o que dificilmente acontece.


Os deputados do maior partido da oposição não podem requerer a criação de uma comissão de inquérito. Na prática, o Parlamento protege o Governo em vez de o fiscalizar e este não sente o dever de prestar contas. Recuámos 350 anos, aos tempos em que o príncipe era detentor de uma autoridade absoluta! Esta realidade, de Governo à solta e sem controlo, introduz um forte cariz autoritário no sistema político madeirense, dificulta a alternância democrática e viola princípios essências do Estado democrático.


Confesso que tenho reduzidas expectativas quanto à alteração dos comportamentos políticos dos principais dirigentes do PSD/Madeira, em particular quando estes beneficiam de um certo silêncio e, nalguns casos, até do apoio expresso por parte de titulares de órgãos de soberania da República. Pelo que me interrogo se, à semelhança do que a Constituição já estabelece para a Assembleia da República e na linha de dignificação das assembleias legislativas regionais, não deverá ser definido (através de lei) um quadro mínimo de garantias e direitos potestativos para os deputados da oposição nos parlamentos das regiões autónomas, independentemente das maiorias que se apuram após cada eleição.


Em democracia, o direito das minorias contribui fortemente para a limitação do poder das maiorias. Quando esses direitos não podem ser exercidos, dado que estão sempre dependentes da disponibilidade da maioria (como é o caso na Madeira), a democracia está amputada. (Artigo publicado no Expresso)

SETE QUESTÕES HISTÓRICAS EM 2008

  1. FACTO HISTÓRICO - PELA PRIMEIRA VEZ O GOVERNO DO PSD-M ASSUME QUE É O RESPONSÁVEL PELA ELEVADA CARGA FISCAL QUE SE PRATICA NA MADEIRA, SOBRE AS FAMÍLIAS E EMPRESAS;
  2. FACTO HISTÓRICO - DEVIDO A DIVERSAS INICIATIVAS OS MADEIRENSES FICARAM A SABER QUE TODOS OS IMPOSTOS GERADOS NA MADEIRA FICAM NOS COFRES DO GOVERNO PSD-M, NÃO VAI UM CÊNTIMO PARA LISBOA;
  3. FACTO HISTÓRICO - A AFIRMAÇÃO DE " QUEM QUER ILHAS TEM DE PAGÁ-LAS" EXPRESSA PELO PSD-MADEIRA É A CLARIFICAÇÃO QUE SE PRECISA: O PSD-M AFIRMA QUE A MADEIRA VIVE À CUSTA DOS CONTRIBUINTES NACIONAIS;
  4. FACTO HISTÓRICO - QUEM CONGELOU NA MADEIRA O TEMPO DE SERVIÇO DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS FOI O GOVERNO DO PSD-MADEIRA, OS AÇORES CONTABILIZOU O TEMPO DE SERVIÇO E PAGOU RETROACTIVOS;
  5. FACTO HISTÓRICO - O GOVERNO DO PS COM O PROGRAMA "PAGAR A TEMPO E HORAS" ACABOU NA PRÁTICA COM A LEI DO ENDIVIDAMENTO ZERO, CRIADO PELA MANUELA FERREIRA LEITE NOS TEMPOS DE DURÃO BARROSO;
  6. FACTO HISTÓRICO - JÁ EXISTE UMA AUTONOMIA DIFERENCIADA: COM OS AÇORES A COLOCAREM A AUTONOMIA AO SERVIÇO DOS AÇORIANOS E COM O PSD-MADEIRA A CLONAR LEGISLAÇÃO NACIONAL, SEM QUALQUER PENDOR AUTONOMISTA;
  7. FACTO HISTÓRICO - A GESTÃO FINANCEIRA DO GOVERNO É UM AUTÊNTICO DESASTRE, HÁ HOJE UMA ASSUMIDA RUPTURA FINANCEIRA DAS CONTAS DA REGIÃO, COM CONTRATOS PLURIGERACIONAIS DE PAGAMENTO DOS CALOTES, DE HOJE, PELAS FUTURAS GERAÇÕES.