terça-feira, 29 de abril de 2008

ALBERTO JOÃO JARDIM - O PRESIDENTE ESTRANGEIRO

ALBERTO PASSA POR AQUI DE VEZ EM QUANDO JÁ PARECE O TAL PRESIDENTE ESTRANGEIRO QUE VEIO RECENTEMENTE À MADEIRA.

QUANTOS DIAS ESTEVE JARDIM

DESDE JANEIRO DESTE ANO PRESENTE NA REGIÃO?

PRESIDENTE AUSENTE...

JARDIM VAI ESTAR AUSENTE DA REGIÃO EM VISITA ÀS COMUNIDADES .... ACOMPANHADO PELO ANTIGO BISPO DO FUNCHAL DOM TEODORO DE FARIA .... BOA VIAGEM.

MAS O GOVERNO PSD NÃO GOVERNA!

segunda-feira, 28 de abril de 2008

O GOVERNO NÃO GOVERNA!

1º - ELEIÇÕES ANTECIPADAS EM 2007 - G.R. NÃO GOVERNA;

2º - ELEIÇÕES PARA O CONGRESSO DO PSD-M - G.R. NÃO GOVERNA;

3º - ELEIÇÕES PARA O CONGRESSO DO PSD NACIONAL - G.R. NÃO GOVERNA;

A TRAIÇÃO!

ALBERTO JOÃO JARDIM DEPOIS DE IR AO CONSELHO NACIONAL DO PSD DAR O APOIO A SANTANA LOPES, VENDO QUE ESTE NÃO TINHA O APOIO DAS BASES EIS QUE JARDIM TRAI O SEU "AMIGO".....

sexta-feira, 25 de abril de 2008

ELEIÇÕES 2009

Não tem hipóteses de ganhar 2009


"A Senhora Dr.ª Manuela Ferreira Leite, a Quem muito prezo e respeito e que tenho pena que não esteja aqui para ouvir isto, faria um grande Serviço ao partido, não se candidatando. Não tem hipóteses de ganhar 2009". Alberto João Jardim, 23 de Abril de 2008, Conselho Nacional do PSD.

Para registo futuro. Um bom argumento de campanha para o PS, naturalmente.

25 de Abril

Depois de 48 anos em que Portugal esteve mergulhado numa noite escuro, a aurora de 24 de Abril de 1974 acordou o país para a Liberdade e Democracia.
Na Madeira já se vive 34 anos de noite clara, mas não deixou de ser noite.

quinta-feira, 24 de abril de 2008

HÁ QUEM SE DIGA AINDA EM REFLEXÃO!


ALBERTO JOÃO JARDIM TEM MEDO!



FALTOU A CORAGEM DE AVANÇAR PARA A LIDERANÇA DO PSD, PORQUE JARDIM TEM MEDO DA SOVA POLÍTICA MONUMENTAL QUE IRIA LEVAR NAS ELEIÇÕES DE 2009.

quarta-feira, 23 de abril de 2008

FORÇA JARDIM CANDIDATA-TE E GANHA O PSD


TU ÉS O HOMEM CERTO NO MOMENTO CERTO!


O PS PRECISA DE TÍ. SIM O PS, NÃO É ENGANO!


TU ÉS A GARANTIA DE UMA MAIORIA ABSOLUTÍSSIMA DO PS.


NÃO HAVERÁ GRATIDÃO QUE PAGUE ESTE TEU SACRIFICIO.

FICÇÃO ... PRESIDENTE DO PS NACIONAL ALMEIDA SANTOS...

A COMENTAR AOS JORNALISTAS À SAIDA DO CONGRESSO DO PSD QUE ACABAVA DE CONSAGRAR ALBERTO JOÃO JARDIM COMO PRESIDENTE DO PSD "É UM ESTADISTA, COM UMA GRANDE OBRA FEITA NA MADEIRA E UM POLÍTICO SÉRIO" E AFIRMOU AINDA QUE "NÃO PONHA AS MÃOS NO FOGO POR MUITOS POLÍTICOS DO CONTINENTE MAS QUE POR ALBERTO JOÃO PONHA".

FICÇÃO ......JÁ ESTOU A VER JAIME GAMA ....

NA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA SE JARDIM ASSUMISSE A LIDERANÇA DO PSD DIRIGIR-SE NOS SEGUINTES TERMOS AO LÍDER DA OPOSIÇÃO:
- SENHOR DEPUTADO ALBERTO JOÃO JARDIM PALADINO DA DEMOCRACIA TEM A PALAVRA .....

MAIS LOGO ACABA A PARÓDIA ....

A ESTRATÉGIA DE JARDIM ESTÁ CONSEGUIDA!


LARGOS SECTORES DO PSD ATÉ O DESEJAVAM PARA LÍDER, MAS POR AMOR À MADEIRA ELE NÃO SE CANDIDATA.



DEU ASSIM ARES DE IMPORTANTE.



MOSTROU AO SEU PARTIDO NA REGIÃO QUE ATÉ TEM FUTURO FORA DA ILHA.



MAS FICA PORQUE A MADEIRA PRECISA!


TENHA CORAGEM E AVANCE PARA A LIDERANÇA!
ESPERO QUE NO FINAL DA CONSELHO NACIONAL O DR. ALBERTO JOÃO JARDIM CONTRADIGA O QUE EU DISSE E SE APRESENTE COMO CANDIDATO A PRESIDENTE DO PSD.


PROGRAMA DE CANDIDATURA DE JARDIM À LIDERANÇA DO PSD NACIONAL

SÓ FALTA CORAGEM!


"No actual panorama de uma certa indigência político-cultural, imposta de Lisboa ao País, não posso, responsavelmente, deixar de expressar a minha preocupação com a situação nacional do Partido que tem o mandato democrático de governar esta Região Autónoma, bem como todos os seus Municípios. O futuro do Povo Madeirense passa necessariamente por alterações governativas na capital, em 2009, pelo que é importante que, a nível nacional, o Partido Social Democrata encontre o rumo certo:


A. Até agora andamos a perder tempo com a fidelidade interessada de alguns, ao Sistema político-constitucional. O qual não serve aos Portugueses.


B. Agora, andamos a discutir pessoas, quando o essencial é discutir PROJECTOS.


C. Quando o essencial é o Partido Social Democrata saber se libertar da indicação, pela comunicação social de “esquerda”, dos candidatos a líderes nacionais que convêm a esta.


D. Quando, neste momento, o Partido Social Democrata só pode ter um Projecto. Ganhar as eleições de 2009.


E. Para ganhá-las, há que agarrar os temas que hoje mais afligem os Portugueses, mas contando e chamando os que trabalham nestes sectores, e não os hostilizando ou prejudicando. Agarrar estes oito temas e não perder mais tempo com questões laterais:


1.a Educação


2.a Saúde


3.a Segurança de pessoas e bens


4.o sistema de Justiça


5.a questão dos impostos e a necessidade de mais investimento público sustentável e de mais investimento privado.


6.o combate ao capitalismo selvagem.


7.o Emprego e a defesa dos Direitos de Quem trabalha.


8. a recuperação económica da Classe Média e das Classes mais desfavorecidas.


F. Tudo isto tratado através de um discurso mobilizador e popular, feito para atrair as grandes massas. Optar pelos comícios, em vez de os jantares só de família política.


G. Explicar que, neste momento após trinta e quatro anos do necessário 25 de Abril de 1974, hoje a “esquerda” é o passado, nós somos o futuro. Basta ver o desastre que, desde há sessenta anos, vem sendo a “esquerda” na Europa e, desde há trinta anos, em Portugal.


H. Contra-atacar forte e em público a comunicação social de “esquerda”, para aviso das populações e a obrigar a se centrar contra nós. À Sá Carneiro.


I. Reconstituir a Aliança Democrática, antes que se dê uma balcanização na nossa área do Centro e na área da Direita, com reformulação partidária destes espaços.


J. Ataque político feroz, inteligente e sem o erro da pessoalização, contra o Primeiro-Ministro, explorando todas as aneiras e faltas de honrar compromissos, expressivamente acumuladas, deixando que seja o Senhor a perder a cabeça, como, por enquanto, habitual e previsível.


L. Disciplina interna – o PSD funcionar como uma Armada, não tendo receio em marginalizar publicamente os que não ajudem neste Plano de Operações. Se é inaceitável que, no Partido Social Democrata, haja quem defenda o Sistema por causa dos seus “interesses” pessoais, muito mais ridículo e inaceitável é a ideia derrotista de alguns fazerem as suas contas individuais de se posicionar para o post-2009,quando o PSD, face ao actual descalabro nacional, se encontra ainda em condições de ganhar 2009".

MARCELO A DISSUADIR JARDIM DE AVANÇAR PARA A LIDERANÇA DO PSD

Não ligue ao que Marcelo diz ... força avance....
As condições que jardim colocou a sí próprio para avançar para a presidencia do PSD nacional estão reunidas. Coragem vá salvar a pátria!

SERÁ QUE O HOMEM VAI FUGIR AO DESAFIO

O HOMEM JÁ TEM TROPAS EM LISBOA ... FALTA-LHE CORAGEM???

CORAGEM HOMEM


DEPOIS DO ELOGIOS DO JAIME GAMA...

DEPOIS DOS ELOGIOS DE CAVACO SILVA ...

DEPOIS DE NO CONGRESSO REAFIRMAR QUE ESTAVA DE SAÍDA ...


FALTAVAM-LHE TROPAS NO CONTINENTE ....

NESTE MOMENTO O HOMEM JÁ TEM TROPAS (LISBOA, PORTO, ALGARVE, MUITOS PRESIDENTES DE CÂMARA MUNICIPAIS, DIRIGENTES NACIONAIS ETC...)


HOJE TEM CONDIÇÕES PARA ASSUMIR A LIDERANÇA DO PSD NACIONAL ... SÓ LHE FALTA CORAGEM!

SEM CORAGEM ....

SEI DE DIVERSAS FONTES QUE JARDIM TEM APOIOS NACIONAIS À SUA CANDIDATURA A PRESIDENTE DO PSD.....
SERÁ QUE HÁ FALTA DE CORAGEM DO HOMEM PARA AVANÇAR?

segunda-feira, 21 de abril de 2008

ESTIVE NO CONGRESSO DO PS AÇORES E NÃO VI

MÁ EDUCAÇÃO, FALTA DE RESPEITO .....
UM PARTIDO DE PODER NÃO PRECISA DE MAL CRIADOS COMO NO PARTIDO DO PODER NA MADEIRA.

CONGRESSO DO PS-AÇORES


MOÇÃO DE ESTRATÉGIA GLOBAL DE CARLOS CÉSAR - UM DOCUMENTO A LER EM - WWW.PSACORES.ORG

O PSD-M HOJE ...

NÃO QUER TÃO CEDO REPETIR A VISITA DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA À MADEIRA.....

NÃO FICO INTRIGADO ... COM A POSTURA DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA


QUANDO PROMULGOU A LEI DE FINANÇAS AFIRMOU QUE TEM DE EXISTIR SOLIDARIEDADE NACIONAL... E QUE A MADEIRA JÁ NÃO PRECISA TANTO DA SOLIDARIEDADE NACIONAL ...
AGORA EM CONSEQUÊNCIA COM O SEU DISCURSO CAVACO VEIO DIZER O MESMO .... NÃO HÁ RAZÕES PARA MAIS SOLIDARIEDADE DO ESTADO….

O PSD-M AO MOSTRAR A OBRA FEITA, FUGIU AOS PROBLEMAS E DEU RAZÃO A CAVACO E A SÓCRATES.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA FOI COERENTE.

MAIS UMA VEZ ....

O PSD DIZ O PIOR DO SENHOR SILVA E LOGO A SEGUIR O MELHOR DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA.

NÃO APOIEI CAVACO SILVA, NO ENTANTO, RECONHEÇO O PAPEL QUE ELE TEM TIDO.

ACHO QUE FOI IGUAL A SÍ PRÓPRIO!

A VISITA ..... DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA


A VISITA CORREU CONFORME AS EXPECTATIVAS!


OS BOMBOS DA FESTA

- FORAM 7 DIAS EM QUE ALBERTO JOÃO JARDIM E CAVACO SILVA APANHARAM PORRADA DA IMPRENSA NACIONAL - RÁDIOS, JORNAIS E TV.

- SAÍRAM MAL NA "FIGURA" CAVACO E JARDIM.

- NA MINHA OPINIÃO CAVACO SILVA DEVERIA VIR CÁ MAIS VEZES!


quinta-feira, 17 de abril de 2008

O ÚNICO "LOUCO"

O ÚNICO LOUCO QUE O PRESIDENTE DA REPÚBLICA TEVE QUE SUPORTAR FOI ALBERTO JOÃO JARDIM. SÃO 7 DIAS APENAS. NÓS ATURAMO-LO O ANO TODO....

O "LOUCO" GRUPO PARLAMENTAR DO PSD-M

É ASSIM QUE ALBERTO JOÃO JARDIM ESCONDE OS SEUS LOUCOS .... AFASTA-OS DE PERTO DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA!

O "LOUCO" GRUPO PARLAMENTAR DO PSD-M

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA LIVROU-SE, ASSIM, DE ATURAR O JAIME RAMOS E GABRIEL DRUMOND...

O "LOUCO" GRUPO PARLAMENTAR DO PSD-M

DE FACTO O PRESIDENTE DA REPÚBLICA DEU RAZÃO A JARDIM! RECEBEU OS DEPUTADOS DA OPOSIÇÃO E DEIXOU DE FORA OS LOUCO, LEIA-SE - O GRUPO PARLAMENTAR DO PSD-M, JAIME RAMOS E COMPANHIA...

segunda-feira, 14 de abril de 2008

domingo, 13 de abril de 2008

DEU-LHE A LOUCA

SERÁ QUE VÃO MANDAR TOCAR O HINO DE PORTUGAL?


COM O PRESIDENTE DA REPÚBLICA NA MADEIRA, TERÃO A CORAGEM DE SILENCIAR O HINO NACIONAL NAS CERIMÓNIAS OFICIAIS??

ALBERTO JOÃO JARDIM TEM VERGONHA DO SEU GRUPO PARLAMENTAR


AS DECLARAÇÕES DE ONTEM DE AJJ SÃO MEMORÁVEIS - ALBERTO JOÃO JARDIM TEM VERGONHA DO SEU GRUPO PARLAMENTAR NA ALRAM.
PUDERA FEZ AQUELA LISTA DE "PATAS RAPADAS" E NÃO OS QUER MOSTRAR A CAVACO SILVA.


ESPECIALMENTE ESTES QUE JÁ DISSERAM ALTAS E PODEROSAS DE CAVACO SILVA:



sábado, 12 de abril de 2008

A MÚSICA CONTINUA ...........

HAVERÁ NOVIDADES?


O MINISTÉRIO PÚBLICO TRABALHA

INQUÉRITO AO «DESASTRE» DOS SOCORRIDOS;
INQUÉRITO À INSPECÇÃO À CÂMARA MUNICIPAL DO FUNCHAL;
IQUÉRITO AOS PALHEIRINHOS NA ROCHA DE BAIXO EM SÃO JORGE;

«MENINOS DAS CAIXINHAS»



QUEM DIRIA QUE DENTRO DAS CAIXINHAS ONDE COLOCAM UNS PENITENTES TROCOS PARA OS MENINOS, AFINAL SEGUNDO UMA CONHECIDA PARLAMENTAR, LÁ DENTRO - SURPRESA!- ESTÃO UMAS DOSEZINHAS DE DROGA. E COM ESTA IMAGINAÇÃO MIRABOLANTE, ALA P`RÁ CADEIA!

SERÁ QUE O «CHEFE» VAI ATRÁS DESTA MENINA??

DOIS DISCURSOS HILARIANTES


NA TERÇA-FEIRA - RAFAELA FERNANDES NO PARLAMENTO - AFIRMOU«OS MENINOS DAS CAIXINHAS, VÃO À ESCOLA DE MANHÃ E À TARDE DIVERTEM-SE NO FUNCHAL»

NA QUARTA-FEIRA - RAFAELA FERNANDES NO PARLAMENTO - AFIRMOU«OS MENINOS DAS CAIXINHAS TRAFICAM DROGA»

A ESTRATÉGIA TOXICODEPENDENTE III


DESMONTAR A ESTRATÉGIA DE JARDIM E DO GOVERNO DO PSD-M


O PROBLEMA NA MADEIRA ATINGIU PROPORÇÕES GIGANTESCAS E O PSD-M QUER MANDAR PARA CIMA DOS OUTROS(PS) AS RESPONSABILIDADES.


POUCO OU NADA FIZERAM AO LONGO DOS ANOS;
SEMPRE ESCONDERAM O PROBLEMA DA DROGA;
NUNCA AFECTARAM RECURSOS HUMANOS E FINANCEIROS AO SEU COMBATE;
RECUSARAM-SE A CRIAR UM VERDADEIRO CENTRO DE TRATAMENTO NA MADEIRA;
USARAM OS TOXICODEPENDENTES COMO JUSTIFICAÇÃO PARA ATRIBUIR VERBAS AO DESPORTO PROFISSIONAL;


AGORA QUEREM DEITAR AS CULPAS DA SUA INAÇÃO SOBRE A LEI E SOBRE O GOVERNO PS.
TUDO O QUE SE PASSA NA MADEIRA DE BOM É DA LAVRA DO PSD-M, TUDO O QUE ESTÁ MAL A RESPONSABILIDADE É DOS OUTROS.
E HÁ CERTA COMUNICAÇÃO SOCIAL QUE DÁ PARA ESTE PEDITÓRIO! HAJA VERGONHA!

A ESTRATÉGIA TOXICODEPENDENTE II

USARAM OS TOXICODEPENDENTES PARA SUSTENTAR O APOIO AO DESPORTO PROFISSIONAL COM A AFIRMAÇÃO DE QUE ESTAVAM A MANDAR RIOS DE DINHEIRO PARA O DESPORTO PARA AFASTAR OS JOVENS DA DROGA!

O DINHEIRO FOI PARA O DESPORTO PROFISSIONAL, NÃO PARA AS MODALIDADES AMADORAS OU PARA O DESPORTO ESCOLAR, MAS UM GOVERNO SEM VERGONHA, UTILIZOU OS TOXICODEPENDENTES PARA JUSTIFICAR A SUA POLÍTICA DESPORTIVA.

QUANTO MAIORES FORAM OS AUMENTOS AO DESPORTO PROFISSIONAL .... MAIS AUMENTOU A TOXICODEPENDÊNCIA. NEM VALE A PENA TIRAR CONCLUSÕES!

A ESTRATÉGIA TOXICODEPENDENTE!

A ESTRATÉGIA DE JARDIM


SÓ QUEM NÃO QUER VER É QUE NÃO CONCLUI QUE O GOVERNO PSD-M FALHOU EM TODA A LINHA NO COMBATE À DROGA.
A MADEIRA TEM HOJE UMA GRAVE PROBLEMA FRUTO DA INOPERÂNCIA DO PSD-M NO GOVERNO QUE SEMPRE TEVE «RESERVAS MENTAIS» EM TRATAR OS TOXICODEPENDENTES COMO DOENTES.

SEMPRE VIRAM OS TOXICODEPENDENTES COMO CRIMINOSOS, NUNCA COMO DOENTES!

ALÉM DOS DISCURSOS QUE O ILUSTRAM, TAMBÉM NUNCA COLOCARAM A TOXICODEPENDÊNCIA NA AGENDA POLÍTICA E MAIS GRAVE NUNCA DISPONIBILIZARAM MEIOS HUMANOS E RECURSOS FINANCEIROS PARA UM COMBATE SÉRIO AO PROBLEMA!

RENDIMENTO SOCIAL DE INSERÇÃO II


O SECRETÁRIO DOS ASSUNTOS SOCIAIS DEU A CONHECER OS NÚMEROS DO RENDIMENTO SOCIAL DE INSERÇÃO.
QUANDO INICIOU-SE O PROGRAMA HAVIA NA MADEIRA 19.500 BENEFICIÁRIOS, ACTUALMENTE EXISTEM 7.800.
ATÉ AQUI TUDO BEM.
PARA O ANO QUE VEM HÁ TRÊS ACTOS ELEITORAIS - VAMOS ESTAR ATENTOS E VERIFICAR SE EM VÉSPERAS DAS ELEIÇÕES OS NÚMEROS DE BENEFICIÁRIOS NÃO IRÃO AUMENTAR.

É QUE ESTE PSD-M, SEM VERGONHA, EM VÉSPERAS DE ELEIÇÕES USAM E ABUSAM DESTE INSTRUMENTO DE INSERÇÃO SOCIAL. OS NÚMEROS «ESTRANHAMENTE» SOBEM QUANDO HÁ ELEIÇÕES.
VAI UM VOTITO EM TROCA DO SUBSÍDIO?

RENDIMENTO SOCIAL DE INSERÇÃO

SECRETÁRIO JARDIM RAMOS CONTRADIZ ALBERTO JOÃO JARDIM

QUANDO ESTE MECANISMO DE APOIO FOI CRIADO, PELO ENTÃO PRIMEIRO-MINISTRO ANTÓNIO GUTERRES, JARDIM E COMPANHIA AFIRMARAM QUE ERA PARA SUSTENTAR VADIOS.
HOJE LEI NO GRATUITO, PELA VOZ DO SECRETÁRIO REGIONAL DE ASSUNTOS SOCIAIS ESTA AFIRMAÇÃO " TEM SIDO UM BOM INSTRUMENTO DE INSERÇÃO DE PESSOAS COM ALGUMAS CARÊNCIAS"

AS OBRAS NA PONTINHA COMEÇAM DIA 2 DE MAIO

E TODOS OS ESTABELECIMENTOS IRÃO SER ENCERRADOS .... É APROVEITAR A OPORTUNIDADE PARA COMEÇAR A CONSTRUIR A ESTATUA DE JARDIM ....

sexta-feira, 11 de abril de 2008

O SAPO ANDA À SOLTA!

O DEVE E HAVER IV


Proposta:

Face aos pressupostos apresentados, o PS Madeira considera que só depois de uma avaliação concreta e exaustiva (eventualmente bem mais profunda do que aquela que aqui se apresenta) sobre todas as transferências externas, a todos os títulos e em todas as áreas, é que é possível definir as melhores práticas no sentido dessas mesmas transferências influenciarem positiva e equitativamente os cidadãos e as empresas da Madeira, contribuindo para uma boa distribuição de riqueza, melhoria das condições de vida dos madeirenses e promoção da criação de emprego.

Com esta abordagem, o PS Madeira pretende criar todas as condições para impedir que os avultados montantes transferidos anualmente apenas venham beneficiar “determinados lóbis de pressão”, pequenos quanto à sua dimensão numérica mas poderosos pela sua posição na escala dos interesses. Até que ponto esses lóbis distorcem ou não o uso adequado dos fundos e o fim a que se destinam, e até que pondo serão responsáveis e devem ser responsabilizados pelos custos elevados e baixo nível de rendimento dos madeirenses no quadro europeu e nacional, nomeadamente quando comparados os seus rendimentos e poder de compra com as outros regiões plano do País (as chamadas “NUT’s), que, dizem todos os indicadores, o que só nos envergonha, a crer nas estatísticas, ao fim de trinta anos de estabilidade política sem desculpas para tantas carências sociais e económicas.
Estamos, nesta perspectiva, seriamente preocupados com o destino dado aos subsídios e às transferência para combater os custos da insularidade ou a ultraperiferia, designadamente aqueles que não passam ou possam não chegar directamente ao beneficiário final, alvo do programa (ex. POSEIMA).

Sendo assim, o PS Madeira, solicita a criação de uma Comissão eventual com objectivo calcular, analisar e implementar o seguinte:

1. Cálculo de todas as transferências externas ao território da RAM, discriminando aquelas que são consequência da ultraperiferia e as da insularidade, numa base permanente ou pontual, dos últimos 7 anos (2000 até 2007);

2. Avaliação dos sistemas de implementação desses apoios;

3. Identificação das más práticas e determinação de responsabilidades;

4. Análise, debate e apresentação de um sistema adequado para a boa implementação das transferências externas à RAM, de modo a ser eficaz no quadro dos objectivos para o qual foi criada;

5. Avaliação do grau de sustentabilidade da RAM, calculando a proporção destes apoios face às receitas próprias da RAM.

Resultados esperados

Além da necessidade absoluta de todos os cidadãos da Região Autónoma da Madeira terem a consciência concreta da verdadeira dimensão das transferências externas, a título da nossa condição estrutural de ilhas ultraperiféricas, a avaliação dos montantes já transferidos em todos os seus segmentos, é indispensável para a tomada de posições consistentes no plano da política económica;

Esta análise permitirá avaliar o seguinte:
a. O nível efectivo de dependência financeira da RAM e a sua viabilidade enquanto território autónomo;

b. A proporção destes montantes face ao Orçamento Regional e, em particular, às receitas próprias da RAM;

c. A bondade da utilização de algumas destas transferências

d. A avaliação das politica de utilização das transferências em prol do bem-estar de todos os cidadãos.

e. A procura de soluções para o lançamento de projectos económicos que ultrapassem as condicionantes regionais, tendo como objectivo a auto-sustentabilidade regional, condição sine qua non para a existência de uma Autonomia sólida e com Futuro.

Nestes termos, e no uso dos seus poderes estatutários e regimentais, a Assembleia Legislativa decide criar uma “Comissão eventual para a análise das transferências do Estado e da União Europeia a título da insularidade e ultraperiferia” que, no prazo de 6 meses, apresentará as suas conclusões ao Plenário.

O DEVE E HAVER III


Mas, a estes dados concretos, há que esclarecer, numa base de seriedade e justiça, para com os cidadãos da Madeira, as transferências ou montantes aplicados na RAM pelo Governo da responsabilidade actual do PSD, e provenientes da República, dirigida actualmente por um Governo do PS, a saber:

a. Segurança Social
b. Rendimento Mínimo de Inserção
c. Imprensa
d. Universidade da Madeira
e. Convergência tarifária de electricidade
f. Comparticipação nacional nos apoios ao sector agrícola
g. Tribunais
h. Cadeias
i. Polícias
j. Marinha
k. Exército
l. Força Aérea
m. Protecção da ZEE
n. Apoio às viagens de residentes
o. Verbas transferidas no âmbito do PIDDAC
p. Reinserção Social
q. Apoios à actividade económica (ex. PIT)
r. Acesso gratuito a canais generalistas através da Cabo TV
s. Custo de transporte de resíduos (ainda em análise)
t. Auxílios do Estado
u. Várias medidas e programas do Governo da República que se aplicam à RAM, etc.

O DEVE E HAVER II


Pressupostos

1. O PS Madeira defende, de forma objectiva e transparente, o estabelecimento de uma estrutura que garanta que os apoios e os fundos nacionais e europeus que se destinam a garantir a coesão, nacional e europeia, cheguem, de facto aos seus destinatários finais, que são os cidadãos da Madeira e do Porto Santo.

2. O objectivo dessa estrutura de acompanhamento é garantir que, em qualquer ponto do percurso, se possa detectar:
2.1. De que organismo nacional ou europeu emana;
2.2. Em que ponto do percurso esse fundo se encontra;
2.3.Quando e se chega ao seu destinatário – o Madeirense, cidadão português e europeu, cujos direitos sociais não serão respeitados se, em algum ponto desse percurso que veicula os fundos, algum tipo de obstrução ocorrer. Nessa situação, há que apurar a causa e, se necessário, quem é o seu responsável.

3. O PS Madeira não aceita um sistema difuso, disperso e sem controle, tanto mais que estão em causa significativos montantes financeiros transferidos, por um lado, e, por outro, não parecem determinar os efeitos correspondentes no poder de compra das famílias, na distribuição de rendimento e na competitividade das empresas, o que, a confirmar-se, é manifestamente inaceitável e põe em causa os princípio da coesão.

4. Não é suficiente, para o debate sério desta temática e para a consequente tomada de posições objectivas, o simples cálculo dos custos da ultraperiferia, num plano global, e a sua respectiva concretização em subsídios de vária ordem, sem a verdadeira noção dos montantes anualmente transferidos, pela República e União Europeia e sem a verificação absoluta da sua efectiva distribuição àqueles a que se destinam;

5. As transferências nacionais e europeias - que ocorrem anualmente para a RAM, sobretudo aquelas que fogem ao padrão predefinido (LFR ou LFL…), são, como é sabido, mas nem sempre devidamente denunciado, nomeadamente por alguma comunicação social madeirense (ela própria, também frequentemente colaborante, consciente ou inconscientemente) – são transformadas sistematicamente num escandaloso e ilegítimo instrumento de propaganda política, por parte de quem exerce o poder, transformando o que é um direito numa outorga e os cidadãos em súbditos de um poder que se julga doador de benesses e não mero agente a quem compete exercer a administração criteriosa e rigorosa do bem comum.

6. Impedindo de conhecer a sua origem ou até a sua existência, os seus beneficiários e, muitas vezes, a sua verdadeira utilidade, no sentido do combate aos efeitos da insularidade e da ultraperiferia. Um dos exemplos mais flagrantes relaciona-se com a situação das transferências a título do POSEIMA: apesar do apoio significativo aos bens de primeira necessidade, esses produtos estão, muitas vezes, à venda na RAM a preços mais elevados que no Continente, não contribuindo para igualar o nível de vida dos madeirenses com os portugueses do continente, sem que ninguém responde por esta injustificada discrepância;

7. A RAM beneficia de transferências financeiras no âmbito das políticas de coesão da União Europeia e da sua condição de ultra-periferia, consagrada nos tratados. Para o Quadro de Referência Estratégico 2007-2013. A RAM receberá cerca de 733 milhões de euros (incluindo Fundo de Coesão), cerca de 105 milhões de euros por ano.

8. No quadro da Zona Franca da Madeira, a nossa Região beneficia de auxílios de estado, traduzida em benefícios fiscais, que ascendem anualmente a valores que rondam os 1 500 milhões de euros (1 790 milhões no orçamento de estado para 2008), de acordo com os anteriores orçamentos de estado;

9. Devido a estes benefícios fiscais concedidos a empresas instaladas na Zona Franca da Madeira, assunto em que o PS Madeira mantém uma posição de total abertura, quanto a sua manutenção, exigindo, porém, um novo modelo, em face da crítica que mantém sobre o actual modelo de exploração do CINM e a desastrada forma de aplicação das ajudas de estado (sobretudo pela ausência de estratégia do Governo do PSD).

10. Portugal mantém-se como um dos países europeus com um nível mais elevado de ajudas estatais e é criticado pela Comissão Europeia pela forma como os distribui. No relatório sobre ajudas do Estado, Portugal aparece como o sexto país com o valor mais alto de ajudas estatais (excluindo agricultura, pescas e transportes) em percentagem do PIB (0,65%) e, dentro destes, regista a segunda parcela mais reduzida de ajudas para objectivos horizontais (26%).

11. Assim, o país está entre os que mais falharam no cumprimento dos objectivos anteriormente definidos pelas autoridades europeias: primeiro, menos ajudas estatais e, segundo, maior prioridade a objectivos horizontais, como a criação de emprego, a investigação e desenvolvimento (I&D) ou a formação profissional, em detrimento de ajudas a sectores específicos de actividade. De acordo com dados da Comissão Europeia 74% da ajuda dada pelo Estado português destina-se especificamente ao sector dos serviços, facto que é explicado pelos benefícios fiscais atribuídos no arquipélago. Sem este valor, Portugal seria não só um dos países com um volume menor de ajudas, como toda a atenção estaria virada para o tipo de apoio que, de acordo com Bruxelas, é mais benéfico para o crescimento económico. Por isso, a Comissão Europeia afirma que "a reduzida parcela de ajuda horizontal (...) em Portugal é devida ao elevado esquema de ajuda fiscal regional existente na Madeira, que, na prática, beneficia um número limitado de sectores".

12. No plano nacional existe uma panóplia de transferências, algumas permanentes, outras pontuais e outras ainda consequência da capacidade de diferentes actores justificarem a sua necessidade, designadamente os apoios no âmbito do PITTER para o Porto Santo e os que já ocorreram para a Zona Velha, além de, no passado, todas as transferências no quadro do PRIME. Além disso, e pela sua importância é útil lembrar os apoios à promoção da Madeira no quadro das Associação de Promoção da Madeira, cujos montantes transferidos do Turismo de Portugal ascenderam, em 2007, a 2,5 milhões de euros.

13. Ainda no plano nacional a RAM recebeu em 2007 no âmbito da Lei das Finanças Regionais 224 milhões de euros e no quadro da Lei das Finanças Locais, para freguesias e municípios, a quantia de 60 milhões de euros.

14. A redução em 30% do IVA cobrado na Madeira corresponde um apoio à insularidade cujos resultados no dia a dia na vida das pessoas e empresas é tímido. As razões têm sobretudo a ver com a internalização deste benefício nas empresas. A Região não tem sido capaz de aplicar medidas que impeçam esta prática.

15. Se observarmos apenas as rubricas com valores conhecidos (LFR, LFL, auxílios de estado à Zona Franca, QREN – Madeira, promoção externa, POSEIMA) e que não mostram qualquer reserva de momento, numa base anual, estamos perante montantes que ascendem a 1 994 mil milhões de euros, quase o dobro do orçamento da RAM.

O DEVE E HAVER I


COMISSÃO EVENTUAL PARA A ANÁLISE DAS TRANSFERÊNCIAS DO ESTADO E DA UNIÃO EUROPEIA A TÍTULO DA INSULARIDADE E ULTRA-PERIFERIA

Objectivos

1. Análise objectiva e concreta dos montantes transferidos para a RAM, do Estado e da União Europeia, a título de compensação pelos custos insularidade e da ultraperiferia;

2. Identificação de todos os instrumentos (e seus montantes) pontuais ou permanentes, dos últimos 7 anos, que se consubstanciaram em transferências financeiras para a RAM;

3. Identificação das falhas que impedem, ou impediram, que os subsídios existentes, de toda a espécie, contribuam ou tenham contribuído efectivamente para a diminuição da pobreza e para a melhoria da distribuição do rendimento das famílias na RAM;

4. Definição de um esquema de distribuição dos montantes transferidos a título de insularidade e ultraperiferia, que garanta uma efectiva transferência de benefícios para os Madeirenses em geral;

5. Apuramento concreto de responsabilidades objectivas, relativamente aos obstáculos e à sua natureza que têm impedido que as transferências ocorridas, ou que ocorrem, contribuam efectivamente para o bem-estar dos madeirenses e porto-santenses.

6. Conhecimento do nível efectivo de sustentabilidade financeira da RAM face ao exterior.

RAZÕES DO VOTO DO PSD À VISITA DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA



«Considerando que o actual titular do Órgão de Soberania Presidente da República sempre demonstrou especial atenção pelos assuntos desta Região Autónoma, seja na sua qualidade de Primeiro-Ministro, seja nas altas funções em que ora se encontra investido.»

SERÁ QUE O PSD DISCORDA?

«Considerando o inquebrantável portuguesismo dos cidadãos da Região Autónoma da Madeira, demonstrado ao longo da História destas terras atlânticas que, como comunidades humanas, já nasceram portuguesas.»

«Considerando o repúdio veemente que os Madeirenses sempre demonstraram por quaisquer aventuras que ponham em causa o legado histórico de Portugal nestas paragens atlânticas e sempre consideraram uma afronta à sua dignidade de Portugueses e Homens Livres quaisquer tentativas vãs que pudessem pôr em causa esse legado histórico.»

SERÁ QUE O PSD DISCORDA?

JAIME RAMOS VS VICTOR FREITAS

A ÁGUA QUE CAI DO CÉU


O PRESIDENTE DA CÂMARA DE SANTA CRUZ FALA EM DÍVIDAS....

QUE DÍVIDAS?

ÁGUA QUE CAI DO CÉU


A ÁGUA QUE CAI DO CÉU EM SANTA CRUZ É MAIS CARA QUE A ÁGUA QUE CAI NOS OUTROS CONCELHOS DA REGIÃO.


SÃO PEDRO APLICA UMA TAXA MUITO ALTA SOBRE OS MUNICIPES DESTE CONCELHO... QUE MAL FIZERAM A DEUS ....... VOTARAM NO ACTUAL PRESIDENTE DE CÂMARA!


DEUS NÃO CATIGA NEM COM PAU NEM COM PEDRAS É COM A FACTURA DA ÁGUA.

quinta-feira, 10 de abril de 2008

O COMUNISMO BRANCO


SAIU-SE COM ESTA!




"OS MENINOS DAS CAIXINHAS TRAFICAM DROGA"


DECLARAÇÕES DA DEPUTADA DO PSD-M, RAFAELA FERNANDES, NA ALRAM

DEPOIS DESTA....

quarta-feira, 9 de abril de 2008

JÁ CONSTA POR AI ....

QUE ALGUNS PARTIDOS ESTÃO A PREPARAR DOSSIERS PARA DEBATE NO PARLAMENTO A ENVIAR AO MINISTÉRIO PÚBLICO .....

VAI SER BONITO!


ESTA NOVA PRERROGATIVA REGIMENTAL, ESTE NOVO PAPEL DO PARLAMENTO, DESCOBERTO PELO LÍDER DA BANCADA DO PSD, JAIME RAMOS, VAI DAR UM JEITÃO AOS PARTIDOS DA OPOSIÇÃO!

BEM HAJA JAIME RAMOS … TU ÉS A LANTERNA DESTE PARLAMENTO!

JAIME RAMOS ABRE A CAIXA DE PANDORA! E AINDA BEM!


ANTECÂMARA DO MINISTÉRIO PÚBLICO


PONTO 17 DA ORDEM DE TRABALHOS

Apreciação e votação na generalidade do projecto de resolução do Partido Social-Democrata intitulado “DENUNCIA A SITUAÇÃO DE DESOBEDIÊNCIA QUALIFICADA EM TERMOS QUE INCORREM OS ÓRGÃOS DA REPÚBLICA DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA E MANDATA A MESA DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA PARA DESENCADEAR O CORRESPONDENTE PROCESSO JUNTO DO MINISTÉRIO PÚBLICO”.
DAQUI EM DIANTE VAI SER BONITO!

A OPOSIÇÃO QUANDO QUISER MANDAR MATÉRIAS PARA O MINISTÉRIO PÚBLICO, FAZ UM DEBATE PRÉVIO NO PARLAMENTO.

TEMOS UNS TANTOS CASOS PARA LEVAR A DEBATE À ASSEMBLEIA PARA SEREM ENVIADOS PARA O MINISTÉRIO PÚBLICO.

JÁ ESTOU A VER MIGUEL MENDONÇA, ILUSTRE PRESIDENTE DESTE PARLAMENTO A SE DIRIGIR AO MP COM UMA CARRADA DE PROCESSOS DEBAIXO DO BRAÇO...

TROCA DE GALHARDETES NO PARLAMENTO



O LÍDER PARLAMENTAR DO PSD-M, JAIME RAMOS, AFIRMOU HOJE NO PARLAMENTO QUE QUEM DENEGRIA A IMAGEM DO PARLAMENTO ERAM OS DEPUTADOS DO PS QUE ESTÃO AQUI 3 OU 4 ANOS, PORQUE ANTES COM EMANUEL JARDIM FERNANDES, MOTA TORRES, RITA PESTANA AS COISAS NÃO ERAM ASSIM.
NATURALMENTE QUE LEMBREI A ESSE SENHOR QUE A IMAGEM DO PARLAMENTO É O QUE É. E QUE QUANDO ESTAVAM CÁ ESSES DEPUTADOS DO PS O SENHOR JAIME RAMOS ATACOU DE FORMA INDECOROSA EMANUEL JARDIM FERNANDES, MOTA TORRES E RITA PESTANA… A MÁ IMAGEM DO PARLAMENTO TEM UM RESPONSÁVEL - JAIME RAMOS

PS indignado com "ataques pessoais" de Luís Filipe Menezes no congresso do PSD/Madeira


07 de Abril de 2008, 18:08

Lisboa, 07 Abr (Lusa) - O dirigente socialista Augusto Santos Silva acusou hoje o presidente social-democrata, Luís Filipe Menezes, de ter feito no congresso do PSD/Madeira "ataques pessoais inqualificáveis" e de liderar um partido "troca-tintas".
Falando no final da reunião do Secretariado Nacional do PS, Augusto Santos Silva recusou-se no entanto a identificar quem tinha sido objecto de "ataques pessoais" por parte do líder do PSD.
Em conferência de imprensa, Santos Silva acusou o líder do PSD de "tentar disfarçar a sua falta de coerência e de credibilidade política com ataques pessoais, que, do ponto de vista do PS, são inaceitáveis e inqualificáveis".
Depois, questionado sobre o visado pelos alegados ataques pessoais de Luís Filipe Menezes, o ministro dos Assuntos Parlamentares deu a seguinte resposta:
"Há uma diferença de limiar em que nós [PS] situamos a actividade política - e não me peçam que saia do limiar da actividade política em que gosto de me situar. Entendemos que o debate democrático é fundamental, que esse debate deve ser vivo e combativo, duro e frontal, mas esse debate deve ser entre orientações políticas e propostas políticas", disse.
Para Santos Silva, "quem derrapa para ataques pessoais apenas tenta esconder a vacuidade das suas propostas políticas e a falta de argumentos políticos".
Luís Filipe Menezes afirmou domingo, no encerramento do congresso do PSD/Madeira, referindo-se a si próprio, que o PSD tem hoje "um líder nacional carregado de defeitos".
"Tem o defeito de se ter licenciado em Medicina muito cedo, fazendo os exames todos, na altura própria, numa universidade do Estado. Tem o defeito de nunca ter assinado receitas de nenhum colega", acrescentou.
Por sua vez, o presidente do PSD/Madeira, Alberto João Jardim, referiu-se ao primeiro-ministro como "aquele engenheiro que fez aquelas casas com uns azulejos horríveis".
"Não sabem quem fez, com aqueles azulejos horríveis? É muito complicado, não era engenheiro, era engenheiro, mas antes de ser engenheiro desenhava, mas desenhava azulejos, olhe, uma grande baralhada, é como o país", declarou Jardim.
O primeiro-ministro, José Sócrates, enfrentou no ano passado uma polémica em torno do seu percurso académico e do uso do título de engenheiro, desencadeada por uma investigação do jornal Público.
Este ano, Sócrates viu-se confrontado com uma notícia do Público segundo a qual assinou projectos de engenharia que não eram seus durante a década de 80, que desmentiu acusando o jornal de "um ataque pessoal e político".
Conhecida a notícia sobre os projectos assinados por Sócrates na década de 80, Luís Filipe Menezes assegurou que durante a sua liderança o PSD "não fará, sem fundamentação sustentada, uma política de ataques de personalidade e de carácter" ao primeiro-ministro.
Por outro lado, Augusto Santos Silva disse hoje que o presidente do PSD não teve "nenhuma relutância ou resistência à sua participação num congresso que decorreu à porta fechada [excepto na abertura e no encerramento]", depois de na sexta-feira o seu partido ter interpelado o Governo sobre a qualidade da democracia, afirmando-se como "paladino da liberdade de imprensa" .
"E esse congresso decorreu à porta fechada porque o presidente do PSD/Madeira [Alberto João Jardim] diz não ter confiança no relato objectivo e verdadeiro de alguns empregados da comunicação social", disse.
De acordo com Augusto Santos Silva, no domingo, o PSD "demonstrou uma vez mais que é um partido troca-tintas e do ziguezague, porque não tem uma única proposta que se mantenha coerente ao longo do tempo".
O membro do Secretariado Nacional do PS citou depois a defesa que o líder social-democrata fez de "uma autonomia sem limites para as regiões autónomas".
"Ora, o PSD nacional não consegue explicar, que, estando realizada a revisão constitucional de 2004 - que aprofundou as autonomias regionais -, a Assembleia Legislativa Regional da Madeira (cuja maioria é do PSD) ainda não tenha feito a correspondente revisão do estatuto político-administrativo", apontou.
Augusto Santos Silva afirmou ainda que o PSD de Luís Filipe Menezes "também não consegue explicar" a razão de ter uma proposta diferente de autonomia para os Açores - recentemente aprovada pelos sociais-democratas na Assembleia da República - e "outra completamente diferente para a Região Autónoma da Madeira.
PMF/IEL.
Lusa/fim

PROPOSTA DO PSD DOS 30 ANOS DE JARDIM

COM PROPOSTAS DESTAS " ESTE REGIME IRÁ CAIR PELA GARGALHADA E PELO RIDÍCULO"

ABSTENÇÃO DO PSD-M À VISITA DE CAVACO SILVA


RECONHEÇO QUE NÃO PERCEBI A ATITUDE DO PSD-M, NEM AS SUAS RAZÕES PARA O SENTIDO DE VOTO EM RELAÇÃO A VISITA DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA, CAVACO SILVA.

terça-feira, 8 de abril de 2008

A ESTÁTUA!


PROPOSTA DO PND

Projecto de Resolução
Construção de uma estátua do Dr. Alberto João Jardim

O Dr. Alberto João Jardim perfez, há bem pouco tempo, 30 anos à frente do Governo Regional da Madeira. Para o bem ou para o mal, é uma figura incontornável da nossa história recente, nomeadamente pelas muitas obras públicas que tem realizado por toda a ilha, perpetuadas pelas incontornáveis placas de cobre, onde, em sinal de preito, está gravado o nome deste insigne governante.Mas esses modestos e acanhados tributos consagrados em cada uma das suas obras e as congratulações oficiais (designadamente desta Assembleia) que porventura se lhe façam, sempre serão insuficientes para este estadista fora do comum, que ama desveladamente a nossa terra.
Este ilustre e intrépido guia e mentor do Madeirense Novo merece uma mais significativa homenagem, que lhe é devida em plenitude do seu Governo, não depois da sua jubilação.
Assim:
A Assembleia Legislativa da Madeira, nos termos do artigo 166.º do Regimento, resolve aprovar a presente resolução:
1. Recomenda-se ao Governo Regional da Madeira que proceda à construção de uma estátua em bronze ou outro metal nobre, com cerca de 50 metros de altura, que represente o amado líder da Madeira Nova, Dr. Alberto João Jardim.
2. Mais se recomenda especialmente:
I. Que essa estátua seja colocada no cimo do antigo Forte de S. José, na entrada do porto do Funchal (Pontinha).
II. Que seja concebida de forma a possuir uma escada interior que permita aos visitantes a subida até à altura da cabeça dessa obra de arte, de onde poderão observar a baía e a mui nobre cidade do Funchal, através dos olhos do seu amado líder.
III. Que, na base do pedestal, sejam colocadas pequenas rodas em aço, como nos antigos moinhos da ilha do Porto Santo, ligadas por correias transmissoras a um mecanismo propulsor interno, que permita que a estátua acompanhe o movimento do sol, como fazem os girassóis.
IV. Que, na altura do zénite do astro rei, emita a estátua um forte silvo, que simbolize para as gerações vindouras os imortais dotes oratórios de Alberto João Jardim.
V. Que a energia necessária ao movimento de rotação e apito da estátua seja fornecida pelas ondas do mar, as quais, como é do conhecimento público, fustigam intensamente a vertente sul do fortim.
VI. Que no próximo orçamento regional seja reservada uma verba adequada para esta importante obra de reconhecimento e gratidão.
Da presente resolução deverá ser dado conhecimento a Sua Excelência o Presidente da República, a Sua Excelência o Presidente da Assembleia da República e ao Senhor Primeiro-Ministro"

O ALBUQUERQUE TRABALHA BEM ...BASTAS UMAS CHUVAS E TEMOS ISTO!