terça-feira, 23 de junho de 2009

Défice externo reduz 23% nos primeiros cinco meses

Nos primeiros cinco meses do ano, o défice externo português recuou 23% para 4.037 milhões de euros, uma evolução que é explicada fundamentalmente pelo menor desequilíbrio da balança comercial de mercadorias que registou um défice 4.661 mil milhões de euros, o que representa uma redução de 30% face a 2008

Nos primeiros cinco meses do ano, o défice externo português recuou 23% para 4.037 milhões de euros, uma evolução que é explicada fundamentalmente pelo menor desequilíbrio da balança comercial de mercadorias que registou um défice 4.661 mil milhões de euros, o que representa uma redução de 30% face a 2008.
A crise internacional está a ditar um forte abrandamento nos fluxos de comércio internacional, o qual está a penalizar mais as importações do que as exportações nacionais de mercadorias, reflectindo as dificuldades económicas que se sentem dentro de fronteiras.Também a contribuir para a redução do défice está a balança comercial de rendimentos, onde o défice até Maio foi de 2.173 milhões de euros, de acordo com os dados hoje divulgados pelo Banco de Portugal no Boletim Estatístico. No entanto, nem tudo são boas notícias em termos de relações económicas com o exterior.
Os saldos positivos em termos de balança de serviços e de capital registaram fortes reduções.Em termos de balança de serviços, que inclui as exportações e importações serviços de turismo, transportes, comunicação, construção entre outros o saldo nos primeiros cinco meses do ano foi favorável a Portugal em 1.355 milhões de euros, um valor 17% inferior ao registado nos mesmos meses de 2008. O turismo está a ser dos sectores mais afectados.
JORNAL DE NEGÓCIOS

Sem comentários: