segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

DEMOCRACIA À MODA DO CHEFE!

DUAS LINHAS In Diário de Notícias
Estranha concepção de liberdade de voto tem o líder do PSD-Madeira. Porque já foi enfrentado por Pedro Passos Coelho, Jardim não admite que os social-democratas madeirenses se manifestem a favor daquele candidato à liderança nacional do partido. Uma coisa é não votar, nem fazer campanha por Passos Coelho, está no seu direito de escolher quem quer. Outra, bem diferente, é pensar que tem o direito de negar essa faculdade aos que pensam de outra maneira. É essa barreira que separa os verdadeiros democratas dos outros. Os democratas lutam por aquilo que defendem. Os outros tentam impor o que pensam. No meio desta dialéctica estão os militantes e dirigentes do PSD-Madeira. Habituados ao politicamente incorrecto estão agora forçados não apenas seguir o líder, mas também a dizer que pensam como o líder, o que em muitos casos não é verdade. É uma violência. Sobretudo para aqueles que legitimamente preferem Passos Coelho a Rangel ou a Aguiar Branco. Mesmo assim, aos que se sentirem mais constrangidos resta uma 'meia solução'. Já que não se livram da proibição de dizer exactamente o que pensam, podem votar em quem entenderem. Afinal, não será a primeira vez que Passos Coelho derrota Alberto João Jardim no Funchal.
Miguel Silva, Editor de Política

Sem comentários: