quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

PS propõe realização de estudo sobre pobreza na Madeira

O PS propôs hoje que o Governo Regional encomende à Universidade da Madeira um estudo sobre a pobreza e exclusão social no arquipélago para que este assunto deixe de ser “o segredo da região”.
“Não se pode falar de Ano Europeu de Combate à Pobreza na Região Autónoma da Madeira sem previamente lançar um estudo sobre esta realidade social no arquipélago”, disse o deputado socialista madeirense, Bernardo Martins, em conferência de imprensa. O parlamentar insular salientou que têm vindo a público vários indicadores sobre a situação da pobreza na região, entre os 25 e os 35 por cento, aos quais “o Governo Regional reage de forma furiosa e irritada”. O deputado acrescentou que “o próprio presidente do Governo diz que os pobres rondam entre os oito e os dez por cento, enquanto o secretário dos Assuntos Sociais fala em apenas quatro por cento, o que mostra que há contradições dentro do próprio executivo e revela que não há estudo sério, um número efectivo sobre a situação da pobreza na Madeira”. “Queremos deixar o apelo ao Governo Regional: que não permita mais que a pobreza na Madeira seja encarada como um segredo de Estado, ou melhor, o segredo da região”, declarou. Bernardo Martins sustentou que “não se deve desistir da intenção de ser efectuado esse estudo sobre a pobreza na região porque ela é mais crescente e preocupante, como afirmou na quarta-feira, o Bispo do Funchal”. Para o grupo parlamentar do PS da Madeira, “se o Governo não sabe nem quer fazer esse estudo, os madeirenses têm direito de ser informados”, pelo que sugere que o mesmo seja realizado por uma instituição não governamental, como a Universidade da Madeira (UMa). Bernardo Martins destaca que a UMa “tem capacidade e experiência em realizar estudos e já tem convénios com entidades públicas, como o Governo Regional”, sendo a mais indicada para efectuar a “radiografia à situação da pobreza na Madeira”. “Esperamos bom senso do Governo da Madeira em associar-se ao ano Europeu de Combate à Pobreza e apelamos ao da maioria do PSD para que esta proposta seja compreendida e aprovada na Assembleia Legislativa”, concluiu. LUSA

Sem comentários: