quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

ALBERTO JOÃO JARDIM O SÁDICO

ALBERTO JOÃO JARDIM É UM SÁDICO PORQUE GOSTA DE VER A DEMOCRACIA SOFRER, DA-LHE PRAZER INJURIAR OS ADVERSÁRIOS, DÁ-LHE PRAZER EM HUMILHAR OS ADVERSÁRIOS POLÍTICOS, SENTE UM PRAZER SÁDICO EM MALTRATAR A DEMOCRACIA E TODOS OS QUE SÃO DEMOCRATAS!


Funchal, 03 Dez (Lusa) - O líder do Grupo Parlamentar do PS-M disse hoje que o Presidente da República não pode continuar a ignorar o "problema Madeira", numa alusão à não eleição do socialista Bernardo Martins para a vice-presidência da Assembleia Legislativa.


"O senhor Presidente da República não pode continuar a fugir ao problema chamado Madeira, tem que intervir no sentido de repor o regular funcionamento das instituições democráticas e dar à Região Autónoma da Madeira e aos madeirenses uma democracia a sério", declarou Vítor Freitas em conferência de imprensa.

Para o líder do Grupo Parlamentar do PS-M, "o Presidente da República tem que olhar para a Região Autónoma da Madeira e tratar os madeirenses como cidadãos de primeira porque a Madeira ainda faz parte do país e a democracia na Região está ameaçada". Vítor Freitas anunciou ainda que, "face a esta situação de anormal e irregular funcionamento das instituições democráticas na Região Autónoma da Madeira", irá solicitar ao secretário-geral do PS para que "se pronuncie em relação a esta matéria. Esta não é uma questão da Região Autónoma da Madeira, é uma questão de liberdade e do País". "Solicitamos também a intervenção da líder do PSD, dra Manuela Ferreira Leite, não pode continuar a fugir a esta questão e ao que se passa na Região Autónoma da Madeira", referiu ainda. Segundo Vítor Freitas, a presidente nacional do PSD tem "o dever de se pronunciar" porque, lembrou, "quem faz a Constituição são no essencial os dois maiores partidos do país que são o PS e o PSD e os seus responsáveis a nível nacional têm o dever de se pronunciarem em relação a tudo o que se passa na Região especialmente quando a Constituição não é cumprida".
O parlamentar socialista responsabilizou ainda o presidente do PSD-M e do Governo Regional, Alberto João Jardim, da não eleição de Bernardo Martins para a vice-presidência da Assembleia Legislativa. "O PSD-M não dá liberdade de voto aos seus deputados nesta casa, o PSD-M constrange a liberdade de voto dos seus deputados", disse ao considera não ter dúvidas que "se existisse liberdade de voto no seio do Grupo Parlamentar do PSD-M, esta questão já tinha sido resolvida". "Mas - continuou - são obrigados a votar contra o dr. Bernardo Martins e é o que leva à inviabilização de um vice-presidente". "O PSD-M devia ter vergonha, o presidente do PSD-M, Alberto João Jardim, devia ter vergonha da imagem que dá da Região Autónoma da Madeira", disse. "Esta atitude de constante confronto, de ódio, de uma linguagem ofensiva, de tentar constranger as oposições nesta casa é sinónimo de que a democracia, infelizmente, está doente na Região Autónoma da Madeira e essa doença tem um nome e um rosto, chama-se Alberto João Jardim", declarou. Vítor Freitas lembrou ainda que os socialistas na Assembleia da República e na Assembleia Legislativa dos Açores viabilizaram a eleição de uma vice-presidência para o PSD ao contrário dos social-democratas madeirenses. O PSD-M diz que concede os votos necessários para viabilizar a eleição de Bernardo Martins (dez votos) cabendo aos partidos da oposição (14 votos) cumprir o seu papel. O deputado do MPT-M, João Isidoro, tem votado sempre contra por não aceitar o candidato do PS-M. O candidato do PS-M a vice-presidente da Mesa da Assembleia Legislativa da Madeira, Bernardo Martins, não foi, hoje, pela quarta vez nesta sessão legislativa, eleito para aquele cargo por não ter obtido a maioria de votos dos deputados do parlamento. Num total de 47 votos, nos quais 33 são do PSD-M, Bernardo Martins teria que obter 24 votos para ser eleito. Nesta eleição, em que participaram 45 deputados (dois deputados do PSD-M não compareceram ao plenário), Bernardo Martins obteve 23 votos "Sim" e 22 "Não", não tendo por isso sido eleito. EC

1 comentário:

Alexandro Pestana - www.miradouro.pt disse...

A eleição do vice da mesa já parece uma novela mexicana, nunca mais tem fim! lol. Até parece que anda toda a gente a brincar à democracia... Quem tem culpa é o presidente da assembleia! Aqueles meninos deviam ter vergonha da má imagem que passam para a opinião pública...